A JLL registou o melhor ano de sempre em Portugal

340

A JLL Portugal anunciou ontem os resultados da sua atividade em 2014, ano que encerrou como o melhor de sempre da consultora em Portugal. Impulsionado pela recuperação do mercado imobiliário, o volume de negócios da consultora registou um crescimento de 65% face a 2013.

“O mercado imobiliário português deu a volta em 2014, invertendo o ciclo de queda dos últimos anos e com uma verdadeira recuperação quer no investimento quer na ocupação de escritórios e retalho. Esta nova conjuntura, associada à solidez do nosso negócio e à capacidade e resiliência da nossa equipa nos anos mais adversos, permitiu-nos atingir os melhores resultados de sempre em Portugal”, comenta Pedro Lancastre, diretor geral da JLL Portugal.

Ainda de acordo com o responsável da consultora, “os Departamentos das áreas transacionais foram os que mais contribuíram para estes resultados, tendo em conta a sua relação direta com os níveis de atividade sentidos no próprio mercado. Contudo, também as áreas não transacionais registaram um desempenho de destacar, com alguns departamentos a observarem crescimentos recorde como é o caso das avaliações”.

Uma das apostas da JLL para 2015 é o lançamento do Departamento Residencial que pretende ser uma solução para promotores e investidores que querem colocar os seus projetos residenciais junto de compradores nacionais e internacionais, neste último caso capitalizando a rede global da JLL.

Esta área de atividade irá não só criar plataformas de comercialização que promovam o produto e dinamizem os canais de venda junto de potenciais clientes, mas também criar valor através da prestação de serviços nas áreas da consultoria e marketing, com o objetivo de apoiar os clientes na definição, posicionamento e divulgação dos seus produtos imobiliários residenciais.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close