Home | Gastronomia | Vinhos | ARQUIVO um tinto que honra a memória do Douro
ARQUIVO um tinto que honra a memória do Douro
ARQUIVO um tinto que honra a memória do Douro

ARQUIVO um tinto que honra a memória do Douro

O Enólogo João Matos da FAPWINES, apresentou esta quinta feira (1) no restaurante Sea Me, em Lisboa, ‘ARQUIVO’, um tinto do Douro que honra a memória dos melhores vinhos da região.

Depois de 15 anos a viajar pelo mundo e a provar vinhos das mais diversas proveniências, o fundador da FAPWINES lançou-se no desafio de criar um vinho de guarda, que comprove o potencial, qualidade e elegância que os vinhos do Douro têm, em qualquer “mesa” do mundo.

“Em todos os grandes vinhos tintos, portugueses ou não, que provei e gostei, a acidez e elegância eram as características que me ficavam na memória, e foi com base nisso que surgiu este vinho. É também a minha maneira de associar as melhores experiências que vivi no mundo dos vinhos a uma região que tanto me deu, dá e continuará a dar, e à qual devo muito”, conta João Matos.

Resultante de um lote de vinhas velhas do Douro Superior e Cima Corgo, o Arquivo estagiou 1 ano em barricas de carvalho francês (85%) e americano (15%) e, por fim, 1 ano em garrafa, antes de ser colocado no mercado.

“O Arquivo pode ser bebido agora, mas tem potencial de guarda para 10 ou 15 anos. É um vinho que pode arquivar-se na garrafeira e também, assim espero, na memória de quem o provar”, refere João Matos, acrescentando que “numa paisagem agreste, como a do Douro, é possível fazer um vinho elegante e de grande longevidade”.

A nota de prova revela tratar-se de um vinho com estrutura, bons taninos e muito boa acidez que lhe confere muita frescura. Elaborado a partir de castas exclusivamente portuguesas – Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca -, apresenta um aroma complexo, com a fruta madura, madeira bem integrada, sugerindo notas de especiarias. Na boca, é intenso e equilibrado, mostrando toda a sua força num final longo e persistente.

De edição limitada – apenas foram produzidas 2020 garrafas, o Arquivo estará disponível em garrafeiras e nos melhores restaurantes do país, sendo que 25% das garrafas estão reservadas para exportação.

Na apresentação do ‘ARQUIVO’ João Matos deu ainda a conhecer as colheitas de 2016 dos vinhos Loureiro , Rosé e Douro Branco da marca Giroflé, que detém desde 2013, ano em que fundou a FAPWINES.

Recorde-se que, além da marca Giroflé, que exporta para diversos mercados europeus e americanos, a FAPWINES lançou, recentemente, a gama de vinhos MADE IN, projeto que assume a ambição de dar a conhecer a genuinidade e autenticidade das regiões vinícolas portuguesas nos mercados internacionais, mostrando o seu terroir e potencial de uma forma moderna e acessível.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close