Campanha Eleitoral na Zambézia

358

Leopardo do GiléA campanha eleitoral para as eleições autárquicas deste sábado (8/2), no município de Gurúè, província da Zambézia, no Centro de Moçambique, terminou na quinta-feira (6/2) sem incidentes, com os dois partidos concorrentes -partido governamental Frelimo e MDM (Movimento Democrático de Moçambique) ambos apostarem em desfiles pelas ruas do município. Estas eleições acontecem depois de confirmação de irregularidades nas anteriores eleições autárquicas, onde o partido Frelimo ganhou por um voto, sendo depois anuladas pelo Conselho Constitucional. A Comissão Nacional de Eleições (CNE) marcou então novas eleições para o dia 8 de Fevereiro do presente ano.

Assim a campanha eleitoral que arrancou na última terça-feira, dia 4 de Fevereiro, tem o seu terminus no dia 6 de Fevereiro, onde os partidos concorrentes se desdobraram na divulgação dos seus manifestos eleitorais com vista a convencer os pouco mais de 36 mil eleitores inscritos.

Desde o primeiro dia até ao momento, não houve registos de incidentes, sendo que várias vezes caravanas cruzaram em suas actividades de campanha sem a mínima confrontação.

A campanha do partido Frelimo foi apoiada por membros seniores daquele partido e grande parte dos administradores distritais e presidente dos municípios sob gestão do partido Frelimo.

Por outro lado o MDM, mobilizou todos os seus altos quadros para o Gurué para apoiar o candidato do partido, com destaque para o presidente do próprio partido o Eng.º Daviz Simango.

A campanha eleitoral foi marcada por um intenso movimento por parte dos partidos políticos e seus apoiantes sendo de realçar que as caravanas do MDM arrastaram maior número de apoiantes.

Na caça ao voto, o candidato da Frelimo apelou aos munícipes para a sua afluência nas assembleias de voto e que votem em si e no seu partido, prometendo acabar com a falta de água no município, adquirir uma ambulância e reabilitar e apetrechar salas de aula com carteiras. Por outro lado o candidato da MDM, deixou promessas de construir um mercado municipal para os vendedores exercerem a sua actividade condignamente, asfaltar as vias de acesso e expandir a rede de fornecimento de electricidade.

Por: Leopardo do Gilé, algures em Moçambique.
“escreve sem o acordo ortográfico”

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close