Cátedra em Diálogo Intercultural em Patrimónios de Influência Portuguesa

Cátedra em Diálogo Intercultural em Patrimónios de Influência Portuguesa

306

A Universidade de Coimbra (UC) acaba de obter a Cátedra UNESCO “Diálogo Intercultural em Patrimónios de Influência Portuguesa”.

A nova Cátedra UNESCO resulta de uma exigente e rigorosa avaliação por peritos internacionais, após candidatura apresentada pela UC, e terá como principais eixos de ação a investigação, formação avançada e cooperação para o desenvolvimento no âmbito dos designados patrimónios vivos, a Paisagem e a Língua, com o objetivo de contribuir para a construção de alternativas integradas às agendas hegemónicas da globalização.

Para o titular da Cátedra, Walter Rossa, docente do Departamento de Arquitetura (DARQ) da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCTUC) e investigador do Centro de Estudos Sociais (CES) da UC, a candidatura apresentada à UNESCO, «surgiu como sequência natural do trabalho já desenvolvido no âmbito do doutoramento Patrimónios de Influência Portuguesa e da iniciativa Alta Sophia e alinha na estratégia global de internacionalização da Universidade de Coimbra.»

Este «selo de qualidade» da UNESCO expressa o «reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Universidade de Coimbra, Património Mundial da UNESCO, e é uma prova de confiança no trabalho que nos propusemos desenvolver no sentido de afirmar o património e a cultura como ativos essenciais para o desenvolvimento sustentável, na linha dos Objetivos da Agenda 2030 das Nações Unidas», afirma o docente e investigador da UC.

O grande objetivo, sublinha Walter Rossa, «é criar sinergias através do diálogo intercultural subjacente ao conceito de influência portuguesa. Essa influência, por exemplo, por meio da Língua comum, mantém cerca de 4% da população mundial potencialmente conectada.»

A Cátedra UNESCO Diálogo Intercultural em Patrimónios de Influência Portuguesa envolve, à partida, meia centena de docentes e investigadores numa parceria com várias instituições europeias, brasileiras e africanas, designadamente a Universidade do Algarve, Università degli Studi di Bologna (Itália), Universidade Federal Fluminense (Brasil), Universidade Eduardo Mondlane e Universidade Lúrio (Moçambique), Université Paris Nanterre (França) e M_EIA – Mindelo Escola Internacional de Arte (Cabo Verde), bem como o Instituto Camões e a Fundação Calouste Gulbenkian.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close