Comer bem, ser ativo e socializar é a chave para o envelhecimento ativo

Comer bem, ser ativo e socializar é a chave para o envelhecimento ativo

364

A saúde mental é uma componente essencial do estado de saúde de um indivíduo, uma vez que esta é determinante para garantir qualidade de vida e níveis elevados de satisfação pessoal, ocupacional e social. Inversamente, uma doença psiquiátrica não diagnosticada e não tratada constitui um enorme obstáculo para a concretização dos objetivos de vida.

O envelhecimento é um tema que tem despertado cada vez mais a atenção dos profissionais de diferentes áreas, devido ao aumento progressivo da população idosa que se tem verificado a nível nacional e mundial. Segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2025 existirão aproximadamente 1,2 mil milhões de pessoas com mais de 60 anos em todo o mundo, sendo a faixa etária com maior crescimento. Isto deve-se à redução das taxas de natalidade, assim como ao aumento da esperança média de vida, proporcionada pelos avanços tecnológicos em diversas áreas científicas.

Durante o processo de envelhecimento existem alterações a nível biológico, psicológico e social que podem refletir-se ao nível do comportamento dos idosos, seja nas suas atividades diárias, ou nas suas interações sociais, que vão surgindo de forma progressiva e que podem, em dadas situações, ser limitativas para o indivíduo.

No entanto, o avançar da idade também pode ser visto de forma positiva, como uma fase de maior maturidade e experiência de vida. No fundo, trata-se apenas de dar continuidade ao processo de desenvolvimento que já acontece em cada um de nós desde que nascemos, tentando viver intensamente cada fase da vida, bem como aceitando e processando as mudanças inevitáveis. Envelhecer bem faz com que valorizemos os ganhos e aceitemos as eventuais perdas, tentando manter a sensação de bem-estar no dia a dia.

Um dos primeiros aspetos a considerar neste processo é a aprendizagem constante, pois contribui para que se criem “reservas cognitivas” e se conservem capacidades. Para assegurar um envelhecimento saudável, é essencial apostar na leitura, treinos de memória, atividades manuais e convívio com outras pessoas.

Outro tópico que também devemos considerar é uma boa nutrição. Assim como o corpo muda com a idade, as necessidades nutricionais também mudam. Ao mesmo tempo, as pessoas mais idosas tendem a comer menos, o que implica a carência de nutrientes imprescindíveis para uma boa saúde física e mental. Uma das estratégias a ter em conta, sobretudo para familiares e/ou cuidadores, é a preparação de refeições que sejam atraentes para os sentidos. Também a adequada ingestão de água deve ser uma prática recorrente no dia a dia do indivíduo.

Manter-se ativo, fazendo pelo menos 30 minutos de exercício físico aeróbio diariamente, como caminhar rápido, correr ou andar de bicicleta (ou outras alternativas como jardinagem ou natação), tem um valor inestimável para a saúde e bem-estar em qualquer idade, contribuindo para a redução dos riscos de doenças, controlo do peso, melhoria do humor, maior independência e mais interação social.

Conviver e socializar é fundamental para a prevenção de diversos problemas das pessoas idosas e para a promoção de um envelhecimento saudável. Infelizmente, o problema da solidão não nos é alheio, sobretudo nas grandes cidades, onde apesar de existirem tantas pessoas, é possível viver e morrer completamente só. É indispensável pensarmos na integração em grupos de suporte para pessoas isoladas, viúvas, pessoas idosas com deficiência motora, cognitiva ou outra e, em certos casos, procurar o aconselhamento de profissionais de saúde mental, serviço social ou terapeutas ocupacionais.

Paralelamente a este problema, surge a depressão, que não deve ser encarada como “tristeza normal da velhice”, até porque muitas vezes se apresenta com queixas subjetivas. Os familiares e cuidadores, assim como o próprio idoso, deverão ser incentivados a procurar apoio e orientação junto dos profissionais de saúde mental, por forma a melhorar o seu bem-estar e qualidade de vida. Numa perspetiva de promoção da saúde mental, as atividades ao ar livre e as atividades de grupo poderão ajudar a evitar alguns quadros depressivos ou constituir, noutros casos, um grande aliado terapêutico.

Cuidar da saúde mental é importante para todos nós, especialmente para quem se preocupa com um envelhecimento saudável. Ficam aqui algumas dicas que podem ajudar a contribuir para o bem-estar das pessoas mais velhas:

  • Compartilhar o seu tempo com entes queridos, mesmo que seja com atividades como as refeições diárias ou as compras no supermercado;
    Manter a ligação e a rede de suporte (com a família, amigos e comunidade, seja pessoalmente ou por telefone, email ou redes sociais);
    Lembrar-se que a atividade física promove o bem-estar mental, físico e social;
    Apostar numa rotina diária de sono, de forma a diminuir os níveis de stress e promover maiores níveis de energia e humor.

Drª Sandra Neves
Psiquiatra da UPPC

A Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra (UPPC) tem por missão contribuir para o bem-estar da população através da oferta de cuidados de saúde, de atividades de formação e de investigação, na área da Psiquiatria e saúde mental, de acordo com padrões de referência internacionais.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close