Home | Turismo | Noticia de Turismo | Crescem as Taxas Turísticos nos destinos europeus
Crescem as Taxas Turísticos nos destinos europeus

Crescem as Taxas Turísticos nos destinos europeus

A proliferação de taxas turísticas em destinos de grande procura, está a fazer aumentar os custos para turistas e viajantes, surpreendidos ou não com valores suplementares ou obrigados a pagar um serviço mais caro, desconhecendo que o preço já inclui uma taxa turística.

O argumento utilizado pelas entidades promotoras da implementação destas taxas, baseia-se na necessidade de gerar novas fontes de receita para apoio à infraestrutura turística, ao esforço ambiental, à manutenção de sítios culturais e a sustentabilidade da região.

Este novo tipo de impostos, com valores variáveis, excessivos em alguns destinos, são geralmente introduzidos sem aviso prévio e quase sempre na proximidade temporal, das temporadas altas, surpreendendo turistas e viajantes, com a agravante de uma boa parte destes utilizadores, também não percebem que estão a pagar um imposto, porque as taxas são geralmente incorporadas aos preços do alojamento, independentemente da sua natureza.

Para aumentar a confusão, os impostos variam muito significativamente de país para país ou até de cidade para cidade, em algumas situações, os viajantes nem sabem o que estão a pagar.

O Holidu, o motor de buscas para casas de férias, criou um guia dos impostos que os viajantes tem de pagar este ano, uma iniciativa que pretende ajudar a planear melhor as férias de verão, em alguns dos destinos mais populares da Europa.

O que há de novo em 2018?

A partir deste verão, os visitantes das Ilhas Baleares, incluindo as ilhas Maiorca, Menorca, Ibiza e Formentera, pagarão o dobro de impostos com relação ao ultimo ano. Isso aplica-se a todos os turistas com idade acima de 16 anos. Embora seja um pouco diferente dependendo do tipo de acomodação, o imposto médio será de € 3 por pessoa por noite, a partir de 1º de maio até 31 de outubro, em 2017, um valor que era em média de € 1,5.

Este imposto, conhecido como o “Imposto para Turismo Sustentável”, aplica-se a todos os tipos de alojamento de férias, incluindo, pela primeira vez na história, navios de cruzeiro. As mudanças devem-se aos esforços do governo das Ilhas Baleares para lidar com o turismo de massa na área. A receita gerada por este imposto irá para a proteção e manutenção dos recursos naturais das ilhas e ajudará a tornar as ilhas mais atraentes para os visitantes.

O imposto ecológico não depende apenas da pessoa, mas também do tipo de alojamento alugado. Isto significa que uma taxa de turismo de € 4 será cobrada para quem ficar em qualquer alojamento de férias ou hotel de 4 estrelas, € 3 para um hotel de 3 estrelas e € 2 para uma pessoa num hotel de 2 estrelas, pousadas e acampamentos.

As Ilhas Canárias, que incluem destinos de férias populares como Tenerife e Gran Canaria, estão a considerar seguir as Baleares e implementar o seu próprio imposto ecológico.

A cidade do Porto, implementou um novo imposto em março deste ano, devido ao boom de turismo que Portugal tem experimentado recentemente. Este novo imposto, de € 2 por pernoite e por pessoa na cidade até um máximo de sete noites, aplica-se a qualquer pessoa com mais de 18 anos.

A Grécia implementou um imposto de “stayover” em 1 de janeiro deste ano, com o objetivo de gerar receita para reduzir a dívida do país. A taxa varia entre € 0.50 e € 4 por noite, com base na classificação oficial do alojamento reservado, os hóspedes são obrigados a pagar o imposto no momento do check-in. Para alugueres de férias, as taxas dependem do número de chaves dado ao hóspede: € 0,25 por 1-2 chaves, € 0,50 por 3 chaves, € 1,00 por 4.

Na maioria dos casos, os impostos turísticos aplicam-se a B&B´s e estadias em casa de férias, não apenas hotéis. Cada cidade ou município tem suas próprias variações: dependendo da lei local, muitos envolvem cálculos com base em uma taxa fixa ou percentual, número de hóspedes, número de noites ou tipo de propriedade reservada. O imposto é pago pelo hóspede, mas a obrigação de remeter os impostos ao governo cai para o locador.

A Croácia também implementou algumas mudanças neste ano. A partir de janeiro de 2018, o imposto de estadia será um valor entre 2,5 e 8 kuna por pessoa e por noite (0,34 a 1,08 euros). Durante a alta temporada, esse valor será mais próximo de 8 kuna.

Os maiores impostos da Europa

De acordo com os dados de Holidu, enquanto as férias mais caras para uma família de quatro pessoas durante a alta temporada estão localizadas em destinos populares como Mykonos, Santorini, Maiorca, Menorca e assim por diante. Os maiores impostos estão na Itália. Veneza assume a liderança aqui, com uma média de € 5 por pessoa, por noite.

“Tassa di soggiorno” é o termo para muitos impostos turísticos locais que foram lançados em toda a Itália em 2011. Geralmente, o imposto é um valor em euros correspondente à classificação do hotel ou acomodações e cobrado em um determinado número de noites. O número máximo de noites correspondente ao imposto aplicado varia de lugar para lugar. Quando esses impostos são adicionados ao IVA da Itália, uma excursão padrão de sete noites pela Itália pode custar mais de € 100 por pessoa, além das taxas de acomodação, tornando a Itália um dos destinos mais caros da Europa.

Outros locais de alto preço incluem Bruxelas e Amsterdão: em Bruxelas, os viajantes precisam prestar atenção a uma fórmula em que se multiplica 3 € pelo preço da acomodação em número de noites, o que aumenta rapidamente. Em Amsterdão, onde os impostos são calculados de acordo com o custo do alojamento, os percentuais chegam a 6%.

Os menores impostos

A Grécia é o país com os impostos mais baixos – a média em todo o país, é de cerca de € 0,25 por noite, por arrendamento (por 1-2 chaves dadas aos hóspedes). A seguir à Grécia encontra-se a Eslovénia, que é em média de 0,94 € em todo o país.

Os impostos variam de região para região em Portugal, mas Lisboa é um dos destinos com os impostos mais baixos. Cada turista paga €1 por noite em impostos, independentemente do tipo de alojamento ou categoria, ao entrar ou sair da cidade. O custo médio total de acomodação para uma locação de tamanho familiar, durante a alta temporada, mais impostos, é de € 910,00.

Outros locais que cobram uma média de € 1 por noite incluem a Bretanha em França, a Córsega, a Côte d’Azur e a Provença.

Imposto Zero

Madrid não possui taxa de turismo. Isso é diferente de outras partes da Espanha – além do imposto turístico acima mencionado nas Ilhas Baleares, há também uma taxa diária que varia de € 0,45 a € 2,25 por pessoa na Catalunha. O custo médio de acomodação total da região para um aluguer de tamanho familiar, durante a alta temporada, com impostos, é de € 1.122,80.

Dinamarca e Reino Unido são exemplos de países que não adotam taxa de turismo, embora Bath possa se tornar a primeira cidade no Reino Unido a introduzir uma. No início deste ano, os planos foram elaborados para cobrar uma taxa extra por noite, mas até agora a proposta ainda não passou. “Taxas de turismo e preços diferentes podem confundir os viajantes”, diz o co-fundador e CEO de Holidu, Johannes Siebers. “Com as informações certas, os viajantes podem sentir-se mais confiantes nas suas transações. A missão de Holidu, é tornar o mercado de aluguer de férias o mais transparente possível e embora as informações fiscais exigidas variem e dependam de cada plataforma ou provedor de reservas, na Holidu, estamos a trabalhar em uma forma de exibir todos os impostos incluídos no preço total do aluguer, para que os nossos consumidores estejam melhor informados ao reservar um alojamento de férias.”

Participação no Imposto Turístico por Custo Total de Alojamento

Embora os impostos sejam considerados como um complemento dos custos, eles podem ser parte substancial do valor de uma acomodação. Devido aos altos impostos de Veneza, não deveria ser surpresa que esta cidade, favorita entre turistas de todo o mundo, tenha uma participação significativamente alta da taxa de turismo no valor total do aluguer, o imposto é 10,81% do custo total de alojamento, em média, € 1,295 a semana, para uma família de quatro pessoas durante a temporada alta.

Depois de Veneza, encontram-se três metrópoles alemãs, começando por Berlim, onde o imposto representa 8,78% do custo total do alojamento (a média é de € 828,80). seguida por Hamburgo (8,68%) e Munique (8,43%).

Com a fórmula de imposto de Bruxelas, o custo total médio de acomodação para uma casa de tamanho familiar durante a temporada alta, com impostos na cidade, é de € 2.583,00. Em Amsterdão, com o imposto de seis por cento, o custo total médio de acomodação é de € 1.862,52.

Entre as Ilhas Baleares, com o recente aumento dos impostos na região, Maiorca apresenta a maior parte do imposto turístico em comparação com todas as outras ilhas: O imposto aqui é de 5,6% do custo total da hospedagem.

Os locais onde a quota de taxa de turismo por alojamento total é inferior a 0,50% incluem Bucareste e a maioria das ilhas gregas e, surpreendentemente, Santorini e Mykonos têm as percentagens mais baixas, com 0,09% e 0,07%, respetivamente.

Isenções: quem não tem que pagar?

Em alguns países, crianças ou jovens adultos estão isentos do imposto. Crianças menores de 10 anos estão isentas do imposto na Itália; menores de 12 anos estão isentos do imposto na Bélgica. Em Portugal, crianças menores de 13 anos são poupadas do imposto.

A Croácia oferece um desconto de 50% para pessoas com idade entre 12 e 18 anos; o mesmo desconto aplica-se aos viajantes que viajam para a Eslovênia, cujas idades variam entre 7 e 18 anos.

Na Espanha, incluindo as Baleares, qualquer turista que tenha menos de 16 anos está isento de taxas turísticas. Na França, Malta, Roménia e Eslovénia, qualquer turista com menos de 18 anos está isento.

A Alemanha é o único país onde os viajantes de negócios estão isentos de uma taxa de turismo, os visitantes de Berlim, que de outra forma seriam cobrados 5% da tarifa do quarto, podem poupar essas taxas adicionais se estiverem lá para trabalhar.

Sobre Holidu

Holidu GmbH, com sede em Munique, é um portal de comparação global para alojamentos de férias. Como motor de pesquisa o Holidu, verifica milhões de alugueres de férias de mais de uma centena de sites parceiros e oferece aos seus utilizadores uma poupança de até 55% para a mesma acomodação, durante o mesmo período de viagem.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close