Cristina de Espanha e Iñaki ainda não pagaram a caução

242

A Infanta Cristina de Espanha e o marido Iñaki Urdangarín, continuam sem conseguir cumprir a sentença do Juiz José Castro o instrutor do caso Nóos, relativamente ao pagamento da caução no valor total de 16 milhões de euros, que lhes foi imposta pelo tribunal.

Segundo o El País, o Juiz aceitou retirar o embargo que tinha imposto sobre parte da mansão no luxuoso bairro de ‘Pedralbes’ onde residiam, autorizando a venda, o que não tem sido fácil, devido à crise que o mercado imobiliário enfrenta, sobretudo naquele tipo de imóvel, o que os obrigou a vender a propriedade por 6.9€ milhões.

A luxuosa mansão que entre a compra, as obras e as reformas entretanto realizadas, para assegurar a habitabilidade em conformidade com o estatuto social, foi alvo de um investimento global na ordem dos 10€ milhões de euros, é, nestas circunstâncias, vendida por pouco mais de metade do valor que lhes custou.

Mas a história não acaba aí, porque desses 6.9 milhões de euros, o casal terá de liquidar com autorização do juiz, 4,39 milhões que estão em dívida à instituição bancária que financiou a compra, La Caixa, restando-lhes a diferença para cumprir parte da decisão judicial.

Somadas as contas e feitas as deduções, sobra-lhes apenas 2.4 milhões de euros, que terão de entregar por inteiro ao tribunal, contrariando a intensão que tinham, que era de, com o valor sobrante, pagar 253.000 euros que devem ao fisco de impostos pendentes de liquidação e 437.000 euros à La Caixa, para liquidar um seguro de crédito que devem desde 2010.

Intenções que o Juiz José Castro contrariou, com um despacho onde se lia que “bajo ningún concepto” a dívida tributária e o pagamento do seguro à La Caixa, são prioritários relativamente à decisão do tribunal, que obriga o pagamento da caução imposta.

Fazendo contas à vida, depois da mansão, dos anéis, das gargantilhas e das tiaras vendidas, há quem afirme em espanha, que só um empréstimo resolveria a questão, mas como nos bancos estão tapados e os amigos do círculo, deixaram de ser tão amigos como eram, não vai ser fácil cumprir a exigência do juiz, ou seja, resolver a caução, arriscando a que, como diz um ‘madrileño’ conhecido de “la calle de alcalá”, até poderão “quedar sin sol”.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close