Cuba agrava a repressão contra a oposição politica

396

O regime Cubano está a agravar a repressão sobre a oposição política interna,  como sucedeu nas recentes manifestações que pretendiam assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, nas quais foram presos por toda a ilha, mais de 100 pessoas, que se manifestavam, exigindo o respeito pelos “Direitos Humanos” e o fim da ditadura da dinastia Castro.

Como tem sido hábito, estas manifestações tiveram de enfrentar grupos organizados pró-regime, manipulados por agentes do governo, seguidos da repressão policial, que culminou em prisões efetivas.

Na passada quinta feira, os escassos manifestantes que gritaram “Viva os direitos humanos” e pela “Liberdade para o povo de Cuba” numa praça de Havana, foram presos pela polícia, depois de acossados pelos grupos Castristas, com insultos de mercenários, traidores e vendidos ao capitalismo.

As “Damas de Blanco”,uma associação de mulheres de presos políticos em Cuba, que se manifesta habitualmente em várias cidades da ilha, a exigir a liberdade dos maridos, tem sido regularmente fustigada por contra-manifestações organizadas pela Vila Marista, a sede da Polícia Secreta em Havana, sujeitas a todo o tipo de insultos e humilhações.

A Amnistia Internacional alertou hoje para o risco de perseguição e prisão de ativistas cubanos, numa onda de detenções arbitrárias que tem ocorrido por toda a ilha, as quais totalizaram cerca de 1.500 presos no último mês, descrevendo o problema como “sistemático”.

As prisões, o assédio e as agressões, tem sido a marca deste regime, que se agrava sobretudo por ocasião de determinadas datas, como sucede no assinalar do “Dia dos Direitos Humanos”, uma situação considerada inaceitável por Erika Guevara-Rosas a representante para a América Latina da Amnistia Internacional, no comunicado daquela organização.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close