Exposição – Castro Marim Primeira Sede da Ordem de Cristo

467

Exposição - Castro Marim Primeira Sede da Ordem de CristoA Igreja do Castelo de Castro Marim acolhe, desde a última edição dos Dias Medievais que ali tiveram lugar em Agosto, a exposição permanente “Castro Marim, Primeira Sede da Ordem de Cristo”.

A Ordem de Cristo foi instalada a 14 de março de 1319, em Castro Marim, por ordem do rei D. Dinis, depois da extinção, pelo Papa Clemente V, da Ordem dos Templários, uma das mais famosas Ordens Militares de Cavalaria, fundada em 1118, no rescaldo da 1ª Cruzada.

Com um papel determinante no período da Reconquista, na atividade militar contra os Mouros e no povoamento do território, a Ordem dos Templários era também detentora de um vasto património que, por direito, pertenceria à Santa Sé, facto que ameaçava a soberania do rei.

Com o pretexto de defender a costa algarvia dos ataques de piratas e piratas magrebinos, D. Dinis consegue decretar a criação da nova Ordem religioso-militar. A 1ª sede da Ordem de Cristo foi então o Castelo de Castro Marim, com um dos mais sólidos sistemas defensivos de todo o Reino do Algarve e situado na fronteira marítima com Marrocos e nas imediações da comunidade islâmica de Granada.

No Paiol do Castelo também pode ser visitada a exposição permanente “Instrumentos de Tortura e Punição”, que evoca um dos períodos mais negros da nossa história, pelas mãos da Inquisição Católica, responsável por milhares de mortes e atos barbáricos contra a integridade humana a quem não professasse da sua fé.

As duas exposições foram aprovadas no âmbito do Programa Interreg Espanha-Portugal 2014-2020, apoiado pela União Europeia, cofinanciadas a 75% pelo FEDER, projetos 0131_FOURTOURS_5_E.

Estas exposições podem ser visitadas diáriamente entre as 9h e as 19h (de abril a setembro) e entre as 9h00 e as 17h00 (de outubro a março).

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close