Investigadores desenvolvem sistema de previsão de cheias urbanas!

314

A previsão de ocorrência de cheias e inundações na malha urbana é um processo de extrema complexidade e os equipamentos disponíveis no mercado, radares meteorológicos, são muito caros.

Investigadores do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra (UC) estão a desenvolver um sistema inovador de previsão de cheias urbanas que propõe a utilização de redes de udómetros, sensores de precipitação, substituindo assim os radares meteorológicos.

Para tornar possível a aplicação desta técnica, financeiramente vantajosa, foram criados modelos matemáticos de previsão e melhorados modelos computacionais de simulação hidráulica. Com os testes preliminares efetuados, «o sistema consegue identificar as zonas onde a precipitação irá causar inundação, com uma antecipação de 30 a 45 minutos, permitindo desencadear medidas rápidas e simples, como a colocação de sacos de areia, que impeçam a passagem da água por forma a evitar danos.

Este tipo de cheias acontece muito rápido e, por isso, o tempo é crítico», explica Nuno Cruz Simões, que fez a pesquisa no âmbito da sua Tese de Doutoramento defendida no Imperial College London e em colaboração com o grupo do Professor Alfeu Sá Marques do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra.

Enquanto, p. ex., nas cheias fluviais «é possível efetuar previsões com bastante antecipação, o mesmo não acontece nas cheias urbanas porque são áreas pequenas e por isso o fenómeno é muito mais repentino. No futuro, este sistema poderá ser totalmente automático. A rede de udómetros recolhe a informação e envia para um computador central que processa os dados recolhidos e, de imediato, emite alertas para os bombeiros, proteção civil, etc.», ilustra o também docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

O trabalho foi distinguido com o Prémio da Associação Portuguesa de Recursos Hídricos para o biénio 2012-2013, um dos mais importantes prémios nacionais da área de Hidráulica e Recursos Hídricos que, de 2 em 2 anos, distingue trabalhos de investigação originais, nomeadamente dissertações de mestrado ou teses de doutoramento.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close