Petição pelo fim da brutal repressão chinesa no Tibete

167

O monge budista Tenzin Delek Rinpoche que ajudou a construir mosteiros e escolas no Tibete, trabalhando em projectos ambientais locais, irritou as autoridades chinesas devido à crescente influência que ganhou junto das comunidades tibetanas, foi preso e torturado durante treze anos numa prisão chinesa e à semelhança de muitos outros, morto em circunstâncias suspeitas.

Um dia depois de sua morte, milhares de Tibetanos manifestaram-se frente aos gabinetes do governo chinês na região, exigindo a devolução à família, do corpo de Tenzin Delek Rinpoche, para que esta realizasse um funeral condigno.

Mas como resposta, a polícia atacou as manifestações, disparando tiros para o ar, lançando gás lacrimogêneo e agredindo violentamente os manifestantes, numa tentativa de os dispersar, acabando por prender a irmã e a sobrinha de Tenzin, que ainda se encontram em local desconhecido.

Segundo as organizações dos direitos humanos no Tibete, as autoridades cremaram o corpo de Tenzin contra a vontade da família e em seguida, entregaram as cinzas aos parentes, acompanhadas de uma arma, ação que foi entendida como mais uma ameaça.

Com a chegada ao poder do presidente Xi Jinping, as organizações de direitos humanos na China, garantem que a situação piorou com o crecimento econômica do país, beneficiando do silêncio e de cumplicidade da comunidade internacional.

Em mais uma fase dessa luta pelos direios do Povo Tibetano, organizações e ativistas lançaram uma petição “PELO FIM DA BRUTAL REPRESSÃO CHINESA NO TIBETE“, que tibetanos e Chineses defensores dos direitos humanos, pretendem fazer chegar a Barack Obama o Presidente Norte Americano e publicar nos meios de comunicação em Washington DC, durante a visita do Presidente Xi aos Estados Unidos.

Fonte: avaaz.org

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close