Home | Atualidade | Europa | A reabertura das Fronteiras dá confiança às pessoas
A reabertura das Fronteiras dá confiança às pessoas
A reabertura das Fronteiras dá confiança às pessoas

A reabertura das Fronteiras dá confiança às pessoas

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação, considera que a reabertura das fronteiras da União Europeia (UE) a partir de 01 de julho, dará “confiança às pessoas” para voltar a procurar viagens aéreas.

“Quando os decisores políticos optarem por abrir as fronteiras, isto vai significar um nível de confiança dos governos e das autoridades sanitárias, vai ser uma enorme ajuda para recuperar a confiança das pessoas para viajar”, afirmou o diretor executivo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA), Patrick Ky, em entrevista à agência Lusa.

Numa altura em que o setor da aviação tenta retomar a sua atividade após uma suspensão de quase três meses devido às restrições às viagens para conter o surto de covid-19 na UE, aquele responsável afirmou que “o primeiro passo é sempre a decisão política de abrir as fronteiras” do espaço comunitário.

Os cidadãos podem começar a confiar “que quando uma pessoa viaja de um local para outro não corre o risco de ser infetada pelo vírus ou de infetar outros”, desde que sejam adotadas as devidas medidas sanitárias, justificou Patrick Ky.

“Pensamos que a confiança dos cidadãos é mais uma questão psicológica e o primeiro passo será sempre a confiança por parte das autoridades sanitárias para reabrir as fronteiras”, reforçou o diretor executivo da EASA.

O que se prevê é que as fronteiras externas da UE reabram em 01 de julho, o espaço de livre circulação dentro da UE deverá voltar a ser uma realidade até ao final do corrente mês de junho, como recomendado pela Comissão Europeia.

A UE encerrou as suas fronteiras externas a todas as viagens “não indispensáveis” em 17 de março passado, no quadro dos esforços para conter a propagação da covid-19.

De momento, “estão a ser realizados alguns voos internacionais, mas apenas de forma residual, e mais utilizados para o repatriamento de pessoas que vivem no estrangeiro”, observou Patrick Ky na entrevista à Lusa.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close