Home » OPINI√ÉO... » AINDA FIZ UMA ‚ÄúCARREIRINHA‚ÄĚ CONTIGO

AINDA FIZ UMA ‚ÄúCARREIRINHA‚ÄĚ CONTIGO

P.Guedes de Carvalho

P.Guedes de Carvalho

Na sua juventude foi um amante dos desportos aqu√°ticos sobretudo a nata√ß√£o, pesca submarina e vela. Com os meus 6 anos de diferen√ßa de idade era o meu √≠dolo nos mares da Ap√ļlia onde praticava com tios, pai, primos e irm√£os o desporto verdadeiramente percursor do actual bodyboard; desporto esse designado por n√≥s, do norte, como ‚Äúcarreirinhas‚ÄĚ. Era fabuloso e imbat√≠vel a ca√ßar as ondas l√° no fundo, no timing preciso quando elas se formavam, acelerando com a bra√ßada crawl que desenvolvia com o seu tronco quase todo de fora, at√© chegar o momento certo de colocar os bra√ßos esticados, m√£os bem √† frente da crista da onda at√© aterrar na areia.

Lembro-me tamb√©m da eleg√Ęncia com que preparava a sua roupa e sapatos de vela para gozar os prazeres da pr√°tica e at√© de competi√ß√£o da vela em diferentes especialidades no porto de Leix√Ķes e Clube de Vela Atl√Ęntico. Vi tamb√©m muitos peixes tirados √†s profundezas do mar, sargos, robalos e polvos que empunhava na ponta da sua espingarda de pesca, nos tempos onde se aguentavam as temperaturas frias sem fatos de borracha. Com o tio, o Lu√≠s e o Manel Neiva.

Depois de 26 fui recordar alguns s√≠tios, como se estivesses comigo e ainda fiz uma ‚Äúcarreirinha‚ÄĚ contigo. Sim, estavas ali a dois metros, √† minha esquerda; e quando eu parei e levantei a cabe√ßa tinhas desaparecido na areia. N√£o se notaram as l√°grimas porque estava muito molhado e mergulhei de novo, de raiva e desalentado por n√£o te poder acompanhar mais nestes desportos.

Fiquei privado fisicamente de um irm√£o. Pela 1¬™ vez. Era o 2¬į de uma seita de cinco que os progenitores chegaram a ver vivos, atingirem todos os 50 anos. √Č obra. Talvez por isso tenha criado sempre a ideia que todos n√≥s √≠amos todos seguir esses passos de longevidade similar. Puro engano.

O mais sensível, o mais bonito, o mais genial e por isso também o mais frágil.
Formou-se em arquitectura, foi autor brilhante de algumas obras muito à frente do seu tempo, mal tratado pelos imbecis da política nacional e autárquica.

Odiava a mediocridade e por isso n√£o teria a estrutura requerida para lidar com a imensid√£o de patos bravos da constru√ß√£o surgidos nos anos 80 do s√©culo passado. N√£o conseguiu perceber porque nunca teve o direito do reconhecimento p√ļblico de mais de meia centena de obras p√ļblicas que coordenou na reconstru√ß√£o de uma das ex-col√≥nias, como cooperante.

Foi autor coordenador do monumento em mem√≥ria dos Combatentes sitiado em Bel√©m. Explicou-me um dia a raz√£o de ter aceite esse desafio (at√© conotado com a dita ‚Äúdireita‚ÄĚ) e o simbolismo do mesmo – a liga√ß√£o intr√≠nseca dos dois continentes separados pela √°gua com chama ininterrupta.

A √°gua sempre presente e um pequeno tanque no jardim em casa, que mais n√£o era que uma pista de nata√ß√£o de 10 metros por 1,5m para te relaxares e que n√£o te deram tempo de acabar. Estou bem mas com muita saudade dele. Para expiar a dor quero afirmar que ele, como tantos outros criativos portugueses, era muito l√ļcido, muito √† frente do seu tempo e √≠ntegro e que culpabilizo o actual estado miser√°vel deste pa√≠s por ter contribu√≠do para o incidente card√≠aco e o stress que precipitaram a sua morte.

Por: Pedro Guedes de Carvalho
“escreve sem o acordo ortogr√°fico”

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.