Home » Saúde » APEF lança campanha de consciencialização para o Fígado
APEF lança campanha de consciencialização para o Fígado

APEF lança campanha de consciencialização para o Fígado

APEF lança campanha de consciencialização para o FígadoA Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF) está a promover uma campanha nacional de consciencialização para a Hepatite, uma doença que afeta cerca de 50 mil doentes, em Portugal, a maioria por diagnosticar. Sob o mote “A Hepatite não pode esperar”, esta iniciativa surge no âmbito das comemorações do Dia Mundial das Hepatites, que se assinala a 28 de julho, e decorrerá durante o mês de julho, nas redes sociais da associação, com o objetivo de alertar os portugueses para a importância de diagnóstico precoce das Hepatites, como forma de tratamento eficaz desta doença.

“Com esta iniciativa pretendemos alertar para a importância de prevenir e tratar precocemente estas doenças. A Hepatite é uma doença evitável, tratável e, no caso da Hepatite C, curável. As Hepatites Virais B e C afetam mais de 350 milhões de pessoas em todo o mundo, causando 1,4 milhões de mortes por ano. Em Portugal poderão ainda existir doentes com Hepatites B e C não diagnosticados. Frequentemente, os doentes infetados não têm sintomas. Contudo, é primordial que qualquer pessoa faça os testes de rastreio das Hepatites B e C pelo menos uma vez na vida”, explica Arsénio Santos, presidente da Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF).

E acrescenta: “A taxa de cura para a Hepatite C situa-se em 97 por cento, sendo fundamental que o diagnóstico seja feito atempadamente. A Hepatite B é igualmente tratável. Se não forem tratadas, as Hepatites B e C podem evoluir para cirrose hepática, e nalguns casos, para cancro do fígado. Lembre-se que a cada 30 segundos morre uma pessoa com uma doença relacionada com as Hepatites. Os tratamentos são simples, rápidos e sem custos”.

Em Portugal, a vacinação contra a Hepatite B faz parte do Programa Nacional de Vacinação desde 1995, contribuindo para a redução significativa da incidência desta doença Porém, ainda não existem vacinas para a Hepatite C, tornando-se vital a adoção de comportamentos seguros, como o uso de preservativos e a não partilha de agulhas ou outros objetos cortantes.

“É preciso fazer mais e melhor, se quisermos cumprir a meta proposta pela Organização Mundial da Saúde de erradicar a Hepatite C até 2030”, conclui Arsénio Santos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) adotou uma Estratégia Global do Setor da Saúde sobre Hepatites Virais: eliminar a Hepatite viral como uma ameaça à saúde pública até 2030. Esteja atento e consulte o seu médico para fazer o diagnóstico e, em caso positivo, um tratamento atempado. Não fique à espera. Atue.

A Hepatite caracteriza-se por uma inflamação das células do fígado, que pode ter várias causas, nomeadamente os vírus da Hepatite A, B, C, D e E, sendo a B e a C as que têm maior impacto na saúde pública. O fígado é um importante órgão do sistema digestivo e, no caso de inflamação ou lesão, pode haver comprometimento da sua função, podendo originar diversas complicações a curto ou a longo prazo.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.