APROSOC exige suspensão de funções de responsável do INEM

APROSOC exige suspensão de funções de responsável do INEM

A APROSOC, Associação de Proteção & Socorro, entidade constituída por técnicos e especialistas na área da proteção civil, acaba de divulgar um comunicado, insurgindo-se contra a tentativa de mascarar os episódios relacionados com a tragédia de Pedrogão Grande.

Neste comunicado a APROSOC desmente declarações dos responsáveis do INEM, exigindo mesmo a imediata suspensão de funções da Diretora Regional do Centro, daquela instituição, por tentar escamotear responsabilidades, mascarando a verdade dos fatos.

Na sequência do comunicado de imprensa, emitido pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), naquilo que classificamos com uma tentativa de lavagem de imagem das improficuidades daquele instituto na ativação atempada de meios e sua adequada gestão no teatro de operações de Pedrogão Grande, no dia 17 de junho, cumpre a esta Associação, com base na informação de que dispõe, quer através dos relatos das vítimas que os nossos operacionais no terreno ouviram no dia 18 de junho, quer dos relatos que nos têm chegado por parte de inúmeros colaboradores do INEM, quer através dos relatos da população da região devastada pelo incêndio de Pedrógão Grande por ocasião do inquérito que realizámos recentemente nas aldeias afetadas (a propósito do programa Aldeias Resilientes), e que nos têm corroborado a versão relatada por um dos Técnicos Operadores de Telecomunicações de Emergência (TOTE) do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM, bem como das vítimas sobreviventes, no programa televisivo “Sexta às 9”, pelo que, descredibilizamos por completo a versão do INEM.

Esta Associação foi ainda informada de que, alegadamente terá sido dada instrução para adulteração da fita de tempo do INEM, algo gravíssimo, a ser verdade, inadmissível num Estado de Direito, o que nos deve causar a todos ainda maior preocupação, pelo que urge participar tais denuncias junto da Inspeção Geral das Atividades em Saúde e do Ministério Público pelas entidades competentes e interessados no apuramento da Verdade.

Sabemos ainda que, já no passado dia 7 de novembro no Seminário “As lições de Pedrogão Grande” realizado em Coimbra, a Diretora Regional Centro do INEM, terá tentado a mesma estratégia de lavagem de imagem, que terá mesmo causado reações negativas por parte de alguns dos presentes, sobreviventes do incêndio e que recorreram inúmeras vezes à linha 112, tendo, sem resposta no terreno às chamadas, arriscado as próprias vidas numa da muitas fugas que conduziram, noutros casos, à morte de dezenas de pessoas. A ausência de resposta no terreno por parte das entidades competentes na prestação de proteção e socorro foram a maior razão para que dezenas de pessoas se lançassem numa fuga desenfreada pela própria vida, motivo pelo qual é urgente o apuramento das razões dessa clamorosa ausência de prestação de serviço público antes e depois do incêndio.

Defende esta Associação que, o Presidente do INEM e a sua Diretora Regional Centro, devem ser suspensos de funções até apuramento de responsabilidades, sob pena de continuarem a exercer pressão sobre os técnicos de comunicações e profissionais de saúde, bem como eventuais constrangimentos ao apuramento da verdade em sede inquérito judicial.

Estranha ainda esta Associação a aparente inércia e inépcia da Inspeção Geral das Atividades em Saúde face aos factos denunciados.

Refira-se ainda que, embora o INEM possua telefones de satélite, e ter sido privado de comunicações via SIRESP em Pedrogão Grande, foi para teatro de operações aparentemente sem os telefones de satélite que logo após usou no teatro de operações de Góis, algo incompreensível.

Esta Associação demarca-se assim da atitude de falta de profissionalismo de alguns dos atuais decisores do INEM, enaltecendo, contudo, a coragem dos colaboradores do INEM que denunciaram a situação, sabendo-se que outros colaboradores do INEM estão dispostos a relatar os mesmos factos.

Carnaxide, 10 de dezembro de 2017

O Presidente

João Paulo Saraiva Amaral da Encarnação

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close