Home » Economia » Empresas » As InsolvĂȘncias aumentaram nos Ășltimos quatro meses
As InsolvĂȘncias aumentaram nos Ășltimos quatro meses

As InsolvĂȘncias aumentaram nos Ășltimos quatro meses

Os primeiro quatro meses do ano registaram um aumento de 13,7% das insolvĂȘncias face ao mesmo perĂ­odo do ano passado. O mĂȘs de abril foi aquele que contribuiu em menor escala para este valor, registando um decrĂ©scimo de -1,5% nas insolvĂȘncias face ao perĂ­odo homĂłlogo, de acordo com a anĂĄlise da COSEC – Companhia de Seguro de CrĂ©ditos.

Em termos de dimensĂŁo, nestes quatro primeiros meses do ano, foi no segmento das microempresas que se verificou o maior nĂșmero de insolvĂȘncias, 67%. Por outro lado, relativamente Ă  longevidade, foi nas empresas com uma dĂ©cada, ou mais, de vida que se registou o maior nĂșmero de insolvĂȘncias, 53% nos primeiros quatro meses de 2024.

O Porto voltou a ser o distrito que registou o maior nĂșmero de insolvĂȘncias – 235, o que representa um crescimento em 44% face ao perĂ­odo homĂłlogo-, seguido pelo distrito de Lisboa que registou um aumento de 19% face ao primeiro quadrimestre do ano passado, ao registar 155 insolvĂȘncias em 2024.

Neste primeiro quadrimestre, o setor dos serviços continua a ser o mais afetado, com um registo de 177 insolvĂȘncias, seguido pelo setor tĂȘxtil, que registou um aumento muito expressivo face ao perĂ­odo homĂłlogo, em 169%, e o setor da construção.

As projeçÔes recentes da Allianz Trade sugerem uma inflação de 2,3% para este ano, o que é ligeiramente abaixo da média da Zona Euro, que deverå registar uma inflação de 5,6% ainda neste ano. Contudo, a anålise mostra que a economia portuguesa começa a dar alguns sinais de recuperação.

“Neste momento, as projeçÔes da Allianz Trade indicam que o cenĂĄrio econĂłmico em Portugal pode estar a dar alguns sinais positivos, acreditamos que o crescimento deverĂĄ continuar a verificar-se e o mercado pode fortalecer-se. PorĂ©m, com a diversidade de fatores que influenciam os mercados financeiros e um cenĂĄrio marcado por alguma incerteza em termos geopolĂ­ticos, acreditamos que Ă© importante monitorizar os riscos e que deve continuar a ser ainda adotada uma postura cautelosa”, afirma Nadine Accaoui, Presidente do Conselho de Administração e Presidente da ComissĂŁo Executiva da COSEC.

As Ășltimas previsĂ”es da Allianz Trade*, acionista da COSEC- Companhia de Seguro de CrĂ©dito, estimam que o produto interno bruto (PIB) de Portugal deverĂĄ crescer 1,3% em 2024. Quanto Ă  inflação, a lĂ­der mundial em Seguro de CrĂ©dito prevĂȘ que Portugal feche o ano de 2024 com uma taxa de 2,3%, encaminhando-se para o objetivo do Banco Central Europeu, uma inflação prĂłxima dos 2%.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como sĂŁo processados os dados dos comentĂĄrios.