Home » Ambiente & Natureza » Campanha de sensibiliza√ß√£o para o degelo no √Ārtico
Campanha de sensibiliza√ß√£o para o degelo no √Ārtico
A campanha visa sensibilizar a opini√£o p√ļblica para o degelo do permafrost

Campanha de sensibiliza√ß√£o para o degelo no √Ārtico

A tecnol√≥gica Epson anuncia o prosseguimento de esfor√ßos visando a sensibiliza√ß√£o para o aquecimento global, com uma nova campanha focada no problema do enverdecimento do √Ārtico e na forma como as empresas e os consumidores se mobilizam ainda mais para reduzir o seu impacto ambiental.

Esta a√ß√£o baseia-se na campanha da Epson produzida pela National Geographic CreativeWorks. A campanha do ano passado venceu um Webby Award como “People‚Äôs Voice Winner” na categoria de conte√ļdos para as redes sociais dedicada aos problemas relacionados com a sustentabilidade, o clima e o ambiente.

Na campanha deste ano, exploradora da National Geographic e professora-ecologista Isla Myers-Smith da Universidade de Edimburgo detalha a sua investiga√ß√£o sobre como o aumento das temperaturas e o aquecimento das esta√ß√Ķes est√£o a gerar um fen√≥meno denominado “enverdecimento do √Ārtico”.

Durante quase vinte anos, a professora Isla Myers-Smith estudou o impacto das altera√ß√Ķes clim√°ticas na tundra do √Ārtico. Nos √ļltimos anos, ela e os seus colegas detetaram uma tend√™ncia distinta, em que as √°rvores e os arbustos cresceram mais depressa no √Ārtico, onde o permafrost est√° a descongelar.

À medida que as temperaturas aumentam, o permafrost descongela e liberta o carbono nele armazenado, sobretudo sob a forma de cadáveres de animais e plantas antigas parcialmente decompostos. E à medida que o solo aquece, as plantas crescem mais altas e densas, retendo a neve que funciona como cobertor para isolar o solo e acelerar ainda mais o aquecimento para libertar mais carbono.

Os cientistas preveem que o permafrost mundial ir√° descongelar consideravelmente at√© 2100. Em janeiro de 2022, um estudo publicado na revista cient√≠fica Nature Reviews Earth & Environment previu que o descongelamento do permafrost poderia libertar at√© 624 milh√Ķes de toneladas de di√≥xido de carbono por ano na atmosfera. A professora Myers-Smith e os seus colaboradores publicaram um estudo separado na revista Nature Reviews Earth & Environment segundo o qual a altera√ß√£o da vegeta√ß√£o da tundra, incluindo o aumento dos arbustos, poderia desempenhar um papel importante na velocidade de descongelamento do permafrost.

A professora Isla Myers-Smith acredita que √© fundamental que as pessoas compreendam as implica√ß√Ķes do enverdecimento do √Ārtico e como pequenas mudan√ßas na nossa vida quotidiana poder√£o ter um efeito positivo no ambiente.

Desde poupar energia em casa at√© andar de bicicleta para o trabalho e consumir produtos locais, cada um de n√≥s pode fazer a diferen√ßa. √Č importante, para todos n√≥s, estarmos cientes de como as nossas escolhas afetam o meio ambiente ‚ÄĒ no nosso territ√≥rio e em todo o mundo.

Com esta campanha, a Epson espera incentivar as empresas e os consumidores a fazerem escolhas tecnológicas que poderão ajudar a reduzir a sua pegada de carbono. A Epson acredita que esta é apenas uma das várias formas como os consumidores e as empresas podem fazer a diferença.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.