Home » Sociedade » Notícia* » Centro de Competências de Envelhecimento Ativo
Centro de Competências de Envelhecimento Ativo
Vitor Aleixo Presidente do Município e Christopher Sainty, Embaixador do Reino Unido em Portugal

Centro de Competências de Envelhecimento Ativo

O Plano de Ação do Envelhecimento Ativo e Saudável motivou a visita a Loulé, de Christopher Sainty, Embaixador do Reino Unido em Portugal, no âmbito da passagem deste representante diplomático pelo Algarve.

A aposta na área do envelhecimento ativo e saudável, tema comum entre Portugal e o Reino Unido, ganha uma cada vez maior importância nas sociedades ocidentais, numa altura em que a prioridade é “envelhecer bem”.

Nuno Marques, coordenador nacional do Plano de Ação do Envelhecimento Ativo e Saudável e diretor do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo (CCEA), apresentou um dos quatro novos centros protocolares nacionais do Instituto de Emprego e Formação Profissional, o único dedicado a este setor, sediado em Loulé.

Este Centro visa ajudar na definição e na implementação das políticas do envelhecimento, nomeadamente numa área-chave, a da capacitação e da formação dos profissionais que são cuidadores, assim como dos cuidadores informais.

O Centro, localizado provisoriamente na Zona Industrial de Loulé, e que o representante britânico teve a oportunidade de visitar, nasce de um acordo entre o Instituto de Emprego e Formação Profissional, Instituto da Segurança Social e ABC – Algarve Biomedical Center, e conta com a colaboração da Rede RePEnSA (que junta os centros portugueses que têm reconhecimento europeu nesta área do envelhecimento).

Futuramente será construída uma sede, num terreno disponibilizado pelo Município de Loulé. Nesse edifício serão coordenadas todas as atividades nacionais e internacionais relacionadas com esta matéria, no âmbito do Plano.

O CCEA implica um investimento superior a 12 milhões de euros, incluindo mais de 6 milhões de euros em instalações e equipamentos para os próximos 3 anos. Está prevista a contratação de 56 recursos humanos qualificados para desenvolvimento das suas atividades.

Sem querer levantar muito o “véu”, nesta sessão, Nuno Marques deu a conhecer ainda ao Embaixador britânico algumas diretrizes contempladas no Plano de Ação do Envelhecimento Ativo e Saudável, documento agregador de toda a política nacional e que está em fase final de aprovação em termos legislativos. Este será, de resto, o primeiro plano a nível europeu com medidas localizadas para esta área.

Quanto a esta ligação próxima entre Portugal e Reino Unido, Nuno Marques acredita que será possível manter uma colaboração e articulação neste setor entre os dois países até porque há “bons exemplos de um lado e de outro”.

No próximo dia 9 de outubro, Loulé recebe uma cimeira sobre “Cidades e Comunidades Amigas do Envelhecimento”, numa organização da Direção-Geral da Saúde, Câmara Municipal de Loulé e Organização Mundial da Saúde. A região do Algarve constituiu-se como líder e, nesse sentido, será celebrado um acordo para que esta seja a primeira “Região Amiga do Envelhecimento”.

O envelhecimento saudável é uma prioridade também para o Governo britânico, sendo considerado, desde 2018, como um dos quatro grandes desafios sociais do país e, “nos últimos 5 anos, a Embaixada tem procurado estabelecer um diálogo bilateral sobre esta matéria”. A realização de 4 fóruns anuais entre os 2 países sobre esta temática, com uma participação de membros do Governo, autarquias, académicos, representantes do chamado terceiro setor, empresas, entre outras entidades, espelha também essa preocupação comum. No primeiro trimestre de 2024, a Embaixada do Reino Unido em Portugal irá apresentar o estudo “Health equals Wealth”, ondes estão plasmados “os desafios e as oportunidades económicas e sociais que o incremento significativo na esperança média de vida nas últimas décadas nos abre”.

“Espero que possamos contar com a ajuda da cidade de Loulé, do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo e do Observatório Nacional do Envelhecimento para aprofundar o diálogo entre os nossos países e promover o envelhecimento saudável das nossas populações”, referiu ainda Christopher Sainty.

Sendo Loulé um dos municípios portugueses com uma população residente mais substancial de cidadãos britânicos, o Embaixador agradeceu ao presidente da Câmara de Loulé e a todos os funcionários que aqui trabalham, “a bondade e compaixão para com os membros da comunidade britânica” durante o Brexit.

Já Vítor Aleixo, disse que este processo de emissão dos passaportes aos cidadãos britânicos, com a instalação de equipamento necessário, “foi um sucesso”.

O autarca louletano destacou o empenho do Município em criar as condições para os seus cidadãos nesta matéria do envelhecimento ativo e saudável e do envolvimento em projetos como Observatório criado em Alte.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.