Home | Atualidade | Europa | Compromisso Net-Zero até 2050 de empresas europeias
Compromisso Net-Zero até 2050 de empresas europeias

Compromisso Net-Zero até 2050 de empresas europeias

O compromisso das organizações com o objetivo de zero emissões líquidas de carbono (net-zero), acelerou nos últimos dois anos, havendo neste momento quase um terço (30%) das maiores empresas da Europa comprometidas com a meta de atingir o Net-Zero até 2050, refere o novo estudo da Accenture.

O estudo da Accenture, ‘Reaching Net Zero by 2050’, analisou dados de mais de 1 000 empresas com cotação nas principais bolsas da Europa, e demonstrou que definir metas ajuda a acelerar a transição para net-zero – ou seja, o momento em que uma organização reduz as suas emissões de CO2, e outros gases de efeito estufa (GEE) a zero, ou alcança um equilíbrio entre a quantidade de emissões de GEE que produz e a quantidade removida da atmosfera. Durante a última década, as organizações que definiram uma meta net-zero, conseguiram reduzir as suas emissões, em média 10%, enquanto as que optaram por não o fazer aumentaram as suas emissões.

As empresas do Reino Unido foram as mais propensas a definir uma meta de net-zero, cobrindo as emissões de alcance 1, 2 e 3 *, totalizando 37%, em comparação com 27% na Alemanha e 18% em França.

Em média, o ano em que as empresas europeias incluídas no estudo apontam para alcançar o net-zero, é 2043. Em indústrias intensivas em carbono – como petróleo, gás e produtos químicos – muitas das organizações estabeleceram a meta net-zero para 2050 ou perto, enquanto outras em setores de serviços apontam para perto de 2035.

“A comunidade empresarial europeia está mais envolvida do que nunca na jornada para net-zero, havendo um crescimento acentuado nos últimos dois anos do número de organizações que divulgaram publicamente”, diz Jean-Marc Ollagnier, CEO da Accenture na Europa. “E como o nosso estudo indica, os objetivos funcionam. O Net-Zero deve ser gerido como qualquer prioridade estratégica de negócio: devem estabelecer-se objetivos claros para conduzir toda a organização na mesma direção e acompanhar o progresso, de forma a ajustar a trajetória de acordo com o necessário. Tornar os objetivos públicos também ajuda a criar um ímpeto coletivo fundamental, pois as empresas não podem fazê-lo sozinhas.”

É necessário acelerar medidas, uma vez que apenas 5% das empresas estão no caminho certo para cumprir as suas metas

No entanto, o estudo da Accenture constatou que se continuarem o ritmo de redução de emissões apresentado entre 2010 e 2019, apenas uma em cada 20 (5%) empresas europeias está no caminho certo para atingir as datas com que se comprometeram para o net-zero nas suas próprias operações, cobrindo as emissões de alcance 1 e 2. A este ritmo apenas 9% conseguirá cumprir a meta de 2050. As empresas que alcançaram reduções menos significativas das suas emissões desde 2010 – ou seja, redução de 0 a 5% ao ano – podem ainda chegar o net-zero antes de meados do século, se duplicarem o ritmo de redução de emissões até 2030 e o triplicarem até 2040.

“Embora o número de novas metas definidas seja reconfortante, ainda é claro que as organizações não se estão a transformar com a rapidez suficiente”, afirma Peter Lacy, chief responsible officer e responsável global pela área de Sustainability Services da Accenture. “As empresas e Governos de todo o mundo precisam de concentrar os seus esforços em ações concretas, que sigam metas robustas para enfrentar o desafio que o nosso planeta enfrenta para atingir o net-zero até meados do século, e suster o aquecimento global em 1,5 ° C.”

O relatório sugere soluções específicas e pontos de partida para atingir o net-zero em diversos setores, que incluem o automóvel, produtos químicos, construção, financeiro, retalho e transportes.

O estudo da Accenture também mostra que sete setores – principalmente setores de serviços profissionais, informações e comunicações – estarão no caminho certo para net-zero nas suas operações até 2050, se duplicarem o ritmo de redução de emissões nesta década e, em seguida, acelerarem outros 50% a 70% nos próximos 10 anos. Um acelerar mais radical será necessário em cinco setores que representam 42% dos gases de efeito estufa emitidos por todas as empresas na amostra do estudo, para atingir net-zero em meados do século – automóvel, construção, indústria transformadora, petrolífero e transporte e armazenamento.

“Até 2050 – ou ainda antes – o net-zero será viável apenas se forem tomadas medidas rápidas e decisivas nesta década. Os nossos indicadores mostram que é possível, mas apenas se as organizações europeias agirem de imediato”, afirma Jean-Marc Ollagnier. “As soluções variam de acordo com o setor e a empresa, e todas têm pontos de partida, oportunidades e desafios diferentes. Em alguns setores, a tecnologia necessária está disponível e precisará de ser escalada rapidamente. Noutros, terão que ser desenvolvidas novas tecnologias. No entanto, chegar lá exigirá que todas as empresas façam da reinvenção a norma, impulsionadas pela inovação tecnológica, colaboração, novos modelos de negócio e regulamentação solidária.”

Para obter mais informações e ver o relatório, visite: Reaching Net Zero by 2050.

*As emissões do alcance 1 são diretas de GEE provenientes de recursos próprios e controlados pelas organizações. O alcance 2 cobre as emissões indiretas da geração de energia comprada – ou seja, eletricidade comprada, vapor, aquecimento e arrefecimento consumidos pela empresa relatora. O alcance 3 inclui todas as outras emissões indiretas que ocorrem na cadeia de valor de uma organização.

Sobre o estudo

O estudo foi baseado em dados recolhidos pela Retail Economics sobre as net-zero (abrangem as emissões de alcance 1, 2 e 3) de 1 022 das maiores empresas listadas em bolsa na Europa: 269 no FTSE, 237 no Euronext Paris, 228 no Deutsche Börse, e 288 em outras bolsas da Euronext, incluindo 73 empresas italianas e 54 empresas espanholas. Os investigadores analisaram as emissões de 2010 a 2019 das empresas amostra do relatório, com foco nas emissões absolutas do alcance 1 e 2 (excluindo o alcance 3 para evitar dupla contagem) e a taxa composta de redução anual (CARR), assim calculando as emissões ao longo dos 10 anos de intervalo.

As projeções de possíveis percursos de redução de emissões para cada empresa no conjunto de dados foram construídas para estimar no intervalo de tempo futuro de cinco anos quando é que a empresa provavelmente alcançará net-zero. Foi escolhida, de acordo com os cenários de especialistas na redução de emissões pela indústria, projeções em forma de ‘curva em S’. As projeções no nível da empresa para a indústria e o nível do país foram agregadas para avaliar o período de tempo durante o qual as empresas da indústria e do país provavelmente atingirão net-zero. Finalmente, os anos-alvo net-zero foram comparados com o intervalo de tempo resultante da análise do caminho das emissões.

Accenture / CS

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.