Home » Economia » Estudos » Custos dos benef√≠cios de sa√ļde v√£o crescer em 2021
Custos dos benef√≠cios de sa√ļde v√£o crescer em 2021

Custos dos benef√≠cios de sa√ļde v√£o crescer em 2021

O estudo ‚Äú2021 Global Medical Trends Survey‚ÄĚ, promovido pela Willis Towers Watson, que inclui dados de 76 pa√≠ses, Portugal inclu√≠do, concluiu que se verifica uma queda muito significativa na utiliza√ß√£o dos seguros de sa√ļde, devido √† Covid 19.

Uma grande maioria da popula√ß√£o decidiu a adiar consultas m√©dicas, tratamentos e exames, no entanto, “as previs√Ķes s√£o de que, em 2021, esta utiliza√ß√£o dever√° retornar aos n√≠veis de 2019, √† medida que os colaboradores cobertos pelos benef√≠cios reagendarem tratamentos, consultas e cirurgias atrasados”.

Os dados deste estudo confirmam que Portugal √© um dos pa√≠ses, onde existe uma forte tend√™ncia para complica√ß√Ķes de sa√ļde e para o aumento dos custos, nos pr√≥ximos anos, devido ao adiamento de tratamentos e terapias.

‚ÄúA pandemia teve, sem d√ļvida, teve um grande impacto na desacelera√ß√£o da tend√™ncia de crescimento este ano, uma vez que provocou uma queda acentuada em cirurgias n√£o urgentes e nos tratamentos e consultas‚ÄĚ, afirma Miguel Albuquerque, Health & Benefits Director na Willis Towers Watson Portugal. ‚ÄúEmbora a maioria dos pa√≠ses tenha experimentado um abrandamento na tend√™ncia este ano, espera-se que este seja de curta dura√ß√£o. Na verdade, prevemos uma volatilidade significativa nos resultados de 2021, que dependem do impacto da COVID-19 e da disponibilidade de uma vacina no in√≠cio do ano, de quem paga por ela e da extens√£o da sua disponibilidade. Al√©m disso, h√° incertezas sobre como os custos dos testes e tratamento da COVID-19 em 2021 continuar√£o a ser divididos entre o governo, as seguradoras e as empresas.‚ÄĚ

De acordo com o estudo, o cancro (80%), as doen√ßas cardiovasculares (56%) e as que afetam o tecido musculoesquel√©tico e conjuntivo (41%) s√£o as tr√™s principais condi√ß√Ķes a impactar os custos m√©dicos. Curiosamente, cerca de quatro em cada 10 entrevistados prev√™em que as doen√ßas mentais estar√£o entre as tr√™s condi√ß√Ķes mais comuns a afetar os custos com benef√≠cios de sa√ļde nos pr√≥ximos 18 meses (40%), e entre as tr√™s mais caras nos pr√≥ximos 18 meses (39%).

Vai continuar a sentir-se um clima de incerteza √† volta dos benef√≠cios de sa√ļde, √† medida que come√ßamos a ver o verdadeiro impacto dos tratamentos adiados em 2020 e os efeitos de longo prazo sobre aqueles que contra√≠ram COVID-19. No entanto, a pandemia acelerou muito a ado√ß√£o e o uso dos servi√ßos de tele-medicina, o que poder√° ajudar a compensar esses custos potenciais mais elevados e a proporcionar uma forma mais eficiente de os segurados acederem e usarem cuidados de sa√ļde no futuro.

O estudo “2021 Global Medical Trends Survey 2021“ da Willis Towers Watson foi realizado entre julho e setembro de 2020 e reflete as respostas de 287 seguradoras médicas, líderes em 76 países.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.