Home | Saúde | É Portuguesa a Máscara que inativa o SARS-CoV-2
É Portuguesa a Máscara que inativa o SARS-CoV-2
É Portuguesa a Máscara que inativa o SARS-CoV-2

É Portuguesa a Máscara que inativa o SARS-CoV-2

A cooperação dos setores, empresarial, científico e académico, resultou na criação da máscara MOxAdTech que inativa o vírus SARS-CoV-2, destacando-se com esta inovação tecnológica, que vem melhorar a confiança dos utilizadores.

A máscara superou com sucesso os testes realizados pelo Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), que a tornam na primeira máscara com capacidade de inativar o vírus que causa a COVID-19. Totalmente “made in Portugal”, o inovador projeto de cooperação entre a comunidade empresarial, académica e científica para o desenvolvimento de uma máscara reutilizável de elevado desempenho tinha já o comprovativo de proteção microbiana, acrescentando agora a capacidade do tecido de inativar o vírus SARS-CoV-2, agente que provoca a COVID-19.

A MOxAd-Tech, que resultou inicialmente da cooperação entre a fabricante Adalberto, a retalhista de moda MO da Sonae Fashion, o iMM, o centro tecnológico CITEVE, e a Universidade do Minho assume-se, assim, como a primeira máscara que inativa o vírus SARS-CoV-2. Este
projeto pretende, desde a primeira hora, reforçar a proteção pessoal na atual situação de pandemia, tornando acessível o vestuário técnico ao maior número de pessoas possível.

Os testes realizados pelo iMM permitem aferir a eficácia da máscara MOxAd-Tech na inativação da COVID-19. A máscara beneficia de um revestimento inovador que neutraliza o vírus SARSCoV-2 quando este entra em contacto com o tecido, efeito que se mantém mesmo depois da realização de 50 lavagens. Como resultado, a máscara oferece um elevado nível de proteção adicional, uma vez que tem a capacidade de inativar o vírus.

Pedro Simas, investigador e virologista do iMM, coordenou os testes que qualificam o tecido como tendo propriedades anti-virais e afirma que “De forma simplificada, estes testes consistem na análise do tecido após o contacto com uma solução que contém uma determinada quantidade de vírus, cuja viabilidade se mede ao longo do tempo. Os testes à máscara MOxAdtech revelaram uma inativação eficaz do SARS-CoV-2 mesmo após 50 lavagens, onde se observou uma redução viral de 99% ao fim de uma hora de contacto com o vírus, de acordo com os parâmetros de testes indicados na norma internacional ISO18184:2019.”

Desenvolvidas em têxtil técnico com várias camadas distintas, as máscaras são repelentes à água e confortáveis, facilitando a sua utilização. Outra das grandes vantagens deste produto inovador é o facto de ser reutilizável, permitindo proteger não só os seus utilizadores, mas também o ambiente, uma vez que minimiza a produção diária de resíduos e, consequentemente, elimina potenciais focos de contaminação.

As máscaras MOxAdTech com esta inovadora tecnologia, encontram-se, desde abril, disponíveis, nas lojas da marca MO e no seu canal online em www.moonline.com. Está também disponível em lojas Continente e Well’s.

Este é um projeto aberto à comunidade, estando disponível para ser distribuído por outras insígnias e retalhistas em Portugal e no exterior.

Partilhe:

One comment

  1. Roberto Moreno

    É português e brasileiro – o criador do Youtube, Google, Facebook e Amazon, como ferramentas de defesa e promoção da língua portuguesa, a partir de 1-1-1992, quando veio a Portugal, no âmbito de uma investigação para uma tese de doutoramento sobre qual será a língua do futuro. Roberto Moreno, da Fundação Geolíngua, também criou e registrou na SPA, inúmeros projetos, sendo, um deles um novo conceito, pioneiro de economia solidaria e autossustentável – o projeto Endoeconomia (ver no Google) Tudo está a ser apresentado às universidades, escolas, governo, MP, Tribunais, Policias e, a imprensa portuguesa – há três décadas, mas, por ter nacionalidade, também brasileira, este cientista está a ser ignorado, boicotado e roubado em Portugal, com total conhecimento dos citados, e que – permanecem em silêncio. – Porque será??

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close