Home » Sa√ļde » Especialidade de Medicina de Urg√™ncia com os Internistas
Especialidade de Medicina de Urgência com os Internistas
Dr Jo√£o Araujo Correia Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI)

Especialidade de Medicina de Urgência com os Internistas

A Ordem dos M√©dicos (OM) tem patrocinado reuni√Ķes entre v√°rios Col√©gios de Especialidade que visam promover um debate interno para avaliar a necessidade da cria√ß√£o de uma Especialidade de Medicina de Urg√™ncia e Emerg√™ncia em Portugal. O grande argumento elencado para esta prem√™ncia, √© o facto de na maior parte dos pa√≠ses europeus existir a Especialidade de Medicina de Urg√™ncia.

‚ÄúO nascimento de uma nova especialidade m√©dica, n√£o deve fazer-se de √Ęnimo leve, por imita√ß√£o ou interesses corporativos. Deve ter em conta as especificidades do pa√≠s, e s√≥ se justifica quando promove vantagens na aquisi√ß√£o de conhecimentos, torna a organiza√ß√£o mais eficiente e acrescenta qualidade na resposta dada aos doentes‚ÄĚ, afirma Jo√£o Ara√ļjo Correia, Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI).

A opinião generalizada dos órgãos da Medicina Interna em Portugal, é que a criação da Especialidade de Urgência não é uma necessidade premente. Não vai trazer quaisquer vantagens para as respostas que os doentes precisam, na nossa realidade. No entanto, a SPMI vai apresentar um projeto em que, no final da Formação Específica em Medicina Interna, será possível obter uma dupla titulação com a Medicina de Urgência.

‚ÄúNada √© mais errado em Portugal do que confundir a Urg√™ncia com a Emerg√™ncia. √Č errado passar a ideia de que uma nova especialidade resolver√° os problemas da Urg√™ncia no pa√≠s. Outro aspeto muito relevante a ter em conta, √© o facto de mais de 90% dos internamentos m√©dicos terem origem no Servi√ßo de Urg√™ncia (SU), pelo que a presen√ßa dos Internistas no SU, √© uma garantia de seguran√ßa dos doentes, ao evitarem altas indevidas, com consequentes atrasos nos diagn√≥sticos‚ÄĚ defende Jo√£o Ara√ļjo Correia.

A Medicina Interna √© a especialidade hospitalar mais numerosa (14% do total de especialistas hospitalares), que se assume como a ‚Äútrave mestra‚ÄĚ do Sistema Nacional de Sa√ļde, no hospital.

Segundo os dados de 2018 divulgados pelo Minist√©rio da Sa√ļde, ocorreram 6,36 milh√Ķes de epis√≥dios de urg√™ncia, dos quais cerca de 40% dos atendimentos (2,2 milh√Ķes), foram classificados como pouco ou nada urgentes (pulseira verde ou azul) e a 42,7% (2,6 milh√Ķes) foi atribu√≠da a cor amarela, que √© onde reside a maior incerteza acerca da real gravidade clinica.

Atualmente, em Portugal, as equipas de urgência dos hospitais têm a participação de especialistas de várias áreas. São consideradas especialidades base do serviço de urgência a Medicina Interna e a Cirurgia Geral.

Sobre a SPMI

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) √© uma das maiores sociedades cient√≠ficas m√©dicas portuguesas, que congrega os internistas, que s√£o a base do Servi√ßo Nacional de Sa√ļde nos hospitais. Um dos seus maiores des√≠gnios √© a divulga√ß√£o do conhecimento, dirigida aos m√©dicos e √† popula√ß√£o, no campo muito vasto da Medicina Interna. Para al√©m da Medicina Curativa, quer ser tamb√©m cada vez mais reconhecida no campo da preven√ß√£o da doen√ßa e promo√ß√£o da sa√ļde.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.