Home » Atualidade » Internacional » Estudo sobre as tend√™ncias alimentares alternativas
Estudo sobre as tendências alimentares alternativas

Estudo sobre as tendências alimentares alternativas

Na data em que se celebra o Dia Mundial da Alimentação, a ConsumerChoice divulga um estudo sobre as tendências de consumo alimentar, bem como os tipos de alimentação praticados e a opinião dos consumidores sobre formas alternativas de alimentação. No geral, a origem dos produtos (26%) é o fator que mais influencia as escolhas alimentares dos entrevistados, seguida do valor nutricional (24%), sabor (22%) e preço (20%).

Sobre as alternativas alimentares, 34% dos inquiridos estaria interessado em experimentar alimentos à base de microalgas, com 20% a considerar experimentar embalagens comestíveis, 13% disponível para consumir alimentos produzidos em laboratório e 13% com curiosidade em experimentar alimentos impressos em 3D.

Para 76% dos entrevistados, a alimenta√ß√£o alternativa √© um fator importante para criar outras op√ß√Ķes ao consumo de carne e alimentos de origem animal, reduzir a polui√ß√£o ambiental (72%) e reduzir o desperd√≠cio alimentar (68%). Caso as marcas promovessem degusta√ß√£o de produtos derivados de alternativas alimentares, 74% demonstram-se dispostos a provar.

J√° no que diz respeito ao consumo de insetos, apenas 9% dos inquiridos teria interesse em experimentar. 59% acredita que este obst√°culo √© criado por quest√Ķes culturais da sociedade ocidental, mas 22% afirma que se trata de inseguran√ßa e receio de que n√£o seja saud√°vel. Para tornar esta alternativa mais apelativa, 26% menciona que os insetos poderiam ser incorporados em farinhas, 20% diz que poderiam ser incorporados em pratos e 17% em snacks.

No geral, 33% dos inquiridos n√£o segue nenhuma alimenta√ß√£o espec√≠fica. 30% segue a alimenta√ß√£o mediterr√Ęnea, 11% a flexitariana e 9% a vegetariana. Questionados sobre formas de tornar as alternativas alimentares mais apelativas, as respostas dos inquiridos passam pelo pre√ßo (18%), educa√ß√£o (15%), melhorar sabor e textura (13%), promover a sustentabilidade (12%) e showrooms de experimenta√ß√£o (11%).

Por fim, quando questionados sobre as medidas que consideram ter maior impacto na educa√ß√£o dos consumidores sobre a import√Ęncia de uma dieta saud√°vel e sustent√°vel, os entrevistados mencionaram programas educacionais em escolas, centros comunit√°rios e ONG (32%), campanhas de marketing de consciencializa√ß√£o (21%), foco numa comunica√ß√£o eficaz (16%) e promo√ß√£o de experi√™ncias interativas (15%).

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.