Home » Sa√ļde » Estudo sobre o cancro do pulm√£o de pequenas c√©lulas
Imagem de Kristina por Pixabay

Estudo sobre o cancro do pulmão de pequenas células

Oito em cada dez pessoas (77,8%) em Portugal com cancro do pulmão de pequenas células são do sexo masculino, revelam os dados de um estudo nacional realizado para a PharmaMar, que quis perceber qual a realidade, em Portugal, deste tipo de cancro que, de acordo com os dados do Registo Oncológico Nacional, corresponde a cerca de 10-13% de todos os casos de cancros de pulmão, um tipo de tumor que se multiplica muito rapidamente, muito agressivo e metastiza muito cedo para outras partes do corpo.

O estudo mostra ainda que em cada 10 novos diagn√≥sticos de cancro do pulm√£o de pequenas c√©lulas, aproximadamente sete apresentam doen√ßa extensa. Destes, existem 17,6% para os quais atualmente o mercado n√£o oferece uma op√ß√£o de tratamento “v√°lida”, pelo que acabam por nem sequer entrar numa primeira linha de tratamento.

Os dados, recolhidos a partir dos doentes seguidos em hospitais de norte a sul do País, mostram ainda que quatro em cada dez doentes (40,9%) têm idade inferior a 65 anos e confirmam aquilo que a ciência já tinha concluído: a associação entre a doença e o histórico de hábitos tabágicos. De facto, 95% dos doentes são ou já foram fumadores.

Ant√≥nio Ara√ļjo, Diretor do Servi√ßo de Oncologia do Centro Hospitalar Universit√°rio do Porto, refere que ‚Äúo carcinoma do pulm√£o de pequenas c√©lulas representa cerca de 13% dos cancros do pulm√£o, est√° intimamente ligado ao consumo de tabaco e mais de dois ter√ßos dos casos apresentam-se com doen√ßa extensa. O progn√≥stico √© sempre muito sombrio, pois mesmo no estadio limitado cerca de 75% dos doentes acabam por progredir. Para o estadio extenso, as abordagens terap√™uticas s√£o muito escassas, com progress√Ķes muito precoces, e quando falamos de segundas e terceiras linhas de tratamento o panorama √© ainda mais sombrio. Por estes motivos, necessitamos de f√°rmacos que venham trazer aumento da sobreviv√™ncia e melhor qualidade de vida a estes doentes‚ÄĚ.

Recorde-se que, atualmente, o cancro do pulmão continua a ser o cancro que mais mata em Portugal. No geral, os sintomas mais comuns de cancro do pulmão incluem tosse persistente, dor no peito, falta de ar, tosse com sangue, fadiga, perda de peso sem causa conhecida, podendo os primeiros sintomas ser ligeiros ou considerados problemas respiratórios comuns, o que costuma conduzir a um diagnóstico tardio.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.