Home | Atualidade | Nacional | FCT NOVA testa compostos neutralizares SARS-CoV-2
FCT NOVA testa compostos neutralizares SARS-CoV-2
FCT NOVA testa compostos neutralizares SARS-CoV-2

FCT NOVA testa compostos neutralizares SARS-CoV-2

A FCT NOVA – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, teve dois projetos aprovados pelo financiamento excecional criado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) como resposta à pandemia por Covid-19 para colmatar necessidades do Serviço Nacional de Saúde.

O primeiro projeto é da investigadora Paula Videira, líder do laboratório Glycoimmunology Group da UCIBIO na FCT NOVA, que coordena o projeto “GLYCOVID-19 Testing existing glycan-based drugs to neutralize SARS-CoV-12”. Este grupo de trabalho irá testar compostos baseados em glicanos e plasma convalescente quanto ao seu potencial para neutralizar a entrada de SARS-CoV-2 durante a infeção. “Os testes levarão menos de três meses para serem implementados, e os compostos efetivos poderão ser sugeridos para ensaios clínicos pelo Serviço Nacional de Saúde”, afirma a investigadora, explicando ainda que, “os glicanos são os principais mediadores de infeções por coronavírus, influenciando a sua entrada nas células”. O consórcio inclui, além da UCIBIO da FCT NOVA, as empresas CellmAbs, Pharma73, VectorB2B, e as entidades do SNS, INSA, IPO-Porto, Hospital de São João e o Centro Hospitalar Universitário do Porto.

O segundo projeto é o “Ventilador de emergência minimalista por pressão controlada para COVID-19”, liderado pelo António Grilo, investigador e coordenador do UNIDEMI. “O ventilador de emergência minimalista por pressão controlada tem como destinatários os pacientes do Covid-19 nos cuidados intensivos dos Hospitais do SNS”, explica o investigador, acrescentando que, “existe um enfoque particular em Hospitais de Campanha com necessidade de ventilação intrusiva”.

Este grupo de trabalho que inclui também as unidades de investigação CTS e LIBPhys da FCT NOVA, visa desenvolver um projeto demonstrador, considerando a construção de 20 protótipos (10 pela equipa da FCT NOVA e 10 pela equipa do LIP-Coimbra) e a realização de dois pilotos em ambiente hospitalar. Neste consórcio ainda participam o LIP – Coimbra e a NMS – NOVA.

No total, o financiamento criado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) é de 1,8 milhões de euros e vai apoiar 66 projetos que respondam às necessidades do Serviço Nacional de Saúde através da linha de financiamento dedicada ao ‘Research 4 Covid-19’.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.