Home » Atualidade » Internacional » Forma√ß√£o de operadores de explosivos na Europa
Formação de operadores de explosivos na Europa

Formação de operadores de explosivos na Europa

Especialistas de oito pa√≠ses europeus, Alemanha, Est√≥nia, Fran√ßa, Noruega, Portugal, Reino Unido, Rom√©nia e Su√©cia, criaram um programa de forma√ß√£o que visa uniformizar a avalia√ß√£o de compet√™ncias de profissionais que empregam explosivos no desmonte de maci√ßos rochosos em toda a Europa, de acordo com os padr√Ķes da EFEE ‚Äď European Federation of Explosives Engineers.

José Carlos Góis, docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), é o especialista português em engenhos explosivos que participa no projeto.

Este plano curricular de forma√ß√£o foi desenvolvido durante os √ļltimos tr√™s anos no √Ęmbito do projeto PECCS ‚Äď Pan-European Competency Certificate for Shot firer/blast designer (Certificado de Compet√™ncia Pan-Europeu para operadores / projetistas de explosivos), financiado pela Uni√£o Europeia atrav√©s do Programa Erasmus+. Al√©m de cientistas, participam institui√ß√Ķes de forma√ß√£o profissional, associa√ß√Ķes ligadas √† aplica√ß√£o de explosivos e empresas de consultadoria na √°rea da aplica√ß√£o de explosivos.

O grande objetivo deste projeto ¬ę√© aumentar a seguran√ßa no uso civil de explosivos e melhorar as possibilidades de forma√ß√£o profissional e de mobilidade dos operadores europeus de explosivos¬Ľ, explica Jos√© Carlos G√≥is.

O investigador do Laborat√≥rio de Energ√©tica e Det√≥nica (LEDAP) da FCTUC, esclarece que a qualifica√ß√£o exigida aos profissionais que trabalham com explosivos √© muito diferente em toda a Europa. Por isso, ¬ęum operador de explosivos que pretenda desempenhar a sua profiss√£o noutro pa√≠s enfrenta grandes dificuldades at√© conseguir obter o reconhecimento do seu certificado de habilita√ß√£o. A mobilidade de cidad√£os entre pa√≠ses que os tratados da UE consagram n√£o funciona neste setor de atividade¬Ľ.

O PECCS ¬ęfoi idealizado para responder precisamente a este tipo de problemas. O principal objetivo √© criar um curso que permita aos seus participantes obter um certificado universal, que seja aceite em todos os pa√≠ses membros da EFEE [atualmente representa 25 pa√≠ses]¬Ľ, salienta.

O material did√°tico formulado pelos especialistas est√° dividido em oito cap√≠tulos, suportados por um gui√£o explicativo dirigido ao formador. A este material, mais te√≥rico, √© acrescentado em cada cap√≠tulo um conjunto de quest√Ķes e exerc√≠cios de aplica√ß√£o. Todo o material est√° escrito em ingl√™s, mas o objetivo √© traduzir para v√°rias l√≠nguas, incluindo portugu√™s.

O plano de forma√ß√£o aborda quest√Ķes de seguran√ßa, perigosidade dos produtos explosivos, caracter√≠sticas de fabrico, armazenamento, transporte e aplica√ß√£o de explosivos, bem como geologia, perfura√ß√£o, teoria do desmonte com explosivos, vibra√ß√Ķes e ambiente.

Para obten√ß√£o de feedback do material desenvolvido e recolha de contribui√ß√Ķes para algum tipo de aperfei√ßoamento necess√°rio, ao longo do projeto realizaram-se tr√™s cursos de teste, em Estocolmo, Paris e Dresden, que foram avaliados por especialistas na √°rea da engenharia de aplica√ß√£o de explosivos em opera√ß√Ķes de desmonte de maci√ßos rochosos, minas, pedreiras, t√ļneis, etc.

Com o objetivo de garantir a qualidade e credibilidade da formação, os cursos e os materiais de formação agora produzidos serão avaliados de três em três anos por peritos.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.