Home | Economia | Emprego | Fundação “La Caixa” promove a criação de emprego
Fundação "La Caixa" promove a criação de emprego

Fundação “La Caixa” promove a criação de emprego

O programa Incorpora da Fundação ”la Caixa”, promoveu em 2020, a criação de 1333 postos de trabalho para pessoas em situação de vulnerabilidade, graças à colaboração com o BPI, o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), e 508 empresas em Portugal.

Grande parte das contratações teve lugar em plena pandemia Covid-19. Devido ao fecho de inúmeras empresas, especialmente dos setores da restauração e do turismo. O programa adaptou-se para aproveitar as oportunidades que surgiram noutros setores, como, por exemplo, no das limpezas de hospitais, higienização, assistência a pessoas idosas em lares ou ao domicílio, escolas e refeitórios, entre outros.

Neste contexto, as medidas de incentivo e apoio à contratação promovidas pelo IEFP junto das empresas foram especialmente oportunas e importantes para os beneficiários do programa Incorpora.

O programa Incorpora também proporciona às empresas que ofereçam oportunidades de emprego um instrumento para o desenvolvimento da sua responsabilidade social, apoiando-as ainda na identificação de incentivos públicos a que possam ter acesso em função do perfil dos beneficiários.

Foi também especialmente importante para a resposta dada às necessidades de contratação das empresas o facto de a rede do programa Incorpora se ter estendido a todo o território de Portugal continental. Com efeito, uma rede de 58 entidades e 113 técnicos – de acompanhamento e prospeção empresarial – partilha informação sobre ofertas de trabalho e acompanha os beneficiários nos processos de seleção e inserção, tanto nas empresas locais como nos processos de recrutamento promovidos por empresas de base nacional.

O programa Incorpora visa promover a contratação, por parte das empresas portuguesas, de pessoas em risco ou situação de exclusão. Este critério abrange, nomeadamente, jovens NEET (não estão a trabalhar, nem a estudar ou frequentar qualquer tipo de formação), desempregados de longa duração, com mais de 45 anos, ex-reclusos, ex-toxicodependentes, vítimas de violência doméstica e pessoas com deficiência ou incapacidade e que, em termos gerais, não têm grandes qualificações ou habilitações.

Porém, devido ao aumento do desemprego que atingiu inúmeros setores da economia em virtude da Covid-19, o programa tem acompanhado e prestado assistência a beneficiários em situação de vulnerabilidade com qualificações superiores e elevada experiência profissional, sendo necessário procurar ofertas laborais que se adaptem a estes novos públicos.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.