Home » Economia » Estudos » InflaĆ§Ć£o Ć© a maior preocupaĆ§Ć£o dos portugueses
InflaĆ§Ć£o Ć© a maior preocupaĆ§Ć£o dos portugueses

InflaĆ§Ć£o Ć© a maior preocupaĆ§Ć£o dos portugueses

Cerca de metade (48,6%) dos portugueses considera que o seu nĆ­vel de vida vai ser pior ou muito pior em 2023, face ao impacto da inflaĆ§Ć£o. Estas sĆ£o algumas das conclusƵes de um novo estudo conjunto da multidados.com ā€“ the research agency e da Guess What.

A guerra, a inflaĆ§Ć£o e o impacto da pandemia estĆ£o nas preocupaƧƵes dos portugueses para o prĆ³ximo ano, destacando-se a inflaĆ§Ć£o (66,8%) e a escalada da guerra (24,0%). A Covid-19 e outras pandemias foram referidas apenas por 2,4% dos inquiridos.

52,6% dos inquiridos estimam uma quebra de rendimentos no prĆ³ximo ano, sendo que 33,7% considera que a quebra serĆ” na ordem dos 5 e 9%. Face a este cenĆ”rio, 84,0% estima fazer cortes nas despesas. Os inquiridos mostram algum desinteresse quanto a investimentos em produtos financeiros, sendo que 54,0% indicam que nĆ£o pretendem fazĆŖ-lo. 84% referem que nĆ£o pretendem investir em criptomoedas.

Para o prĆ³ximo ano, 18,8% tenciona iniciar hĆ”bitos de leitura, enquanto 70,6% pretende continuar esse hĆ”bito. Quanto ao exercĆ­cio fĆ­sico, 49,1% dos inquiridos pretendem iniciar esta prĆ”tica e 47,1% indicam que vĆ£o procurar manter. 40,9% dos inquiridos referem que pretendem cuidar da mente, atravĆ©s, por exemplo, de meditaĆ§Ć£o.

Quanto ao tema da guerra, 47,4% acredita que esta nĆ£o vai terminar no prĆ³ximo ano. 91,1% apoia a UcrĆ¢nia no conflito, mas 36,9% indica que a inflaĆ§Ć£o poderĆ” levar a um recuo neste apoio.

Este estudo foi realizado, pela multidados.com – the research agency, pelos mĆ©todos CATI (TelefĆ³nico) e CAWI (online). Foram recolhidas e validadas 1000 respostas entre os dias 12 a 20 de dezembro de 2022.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como sĆ£o processados os dados dos comentĆ”rios.