Home » Sa√ļde » Investiga√ß√£o: compreender o impacto das alergias severas
Investigação: compreender o impacto das alergias severas
Investigadores [da esquerda para a direita: João Peça, Joana Guedes, Ana Luísa Cardoso e Pedro Ferreira]

Investigação: compreender o impacto das alergias severas

A investigação liderada por João Peça, Joana Guedes, Ana Luísa Cardoso e Pedro Ferreira, cientistas da Universidade de Coimbra, obteve uma descoberta que vem ajudar a compreender o impacto das alergias severas no desenvolvimento do cérebro após o nascimento.

Ainda que seja conhecida a rela√ß√£o entre alergias severas e perturba√ß√£o de hiperatividade e d√©fice de aten√ß√£o (PHDA), desconhecia-se o que ligava estas duas patologias. Agora, uma investiga√ß√£o liderada pela Universidade de Coimbra (UC) apresenta novas informa√ß√Ķes para entender esta liga√ß√£o: est√° relacionada com um intervalo muito importante no desenvolvimento do cerebelo no per√≠odo ap√≥s o nascimento, em que a resposta al√©rgica revelou perturbar o amadurecimento desta regi√£o do c√©rebro.

Esta descoberta vem fornecer novas evid√™ncias sobre os mecanismos de neurodesenvolvimento, ao identificar este momento cr√≠tico de desenvolvimento do cerebelo. Vem, igualmente, alertar para a necessidade de um desenvolvimento saud√°vel do sistema imune e para a forma como altera√ß√Ķes a este n√≠vel podem ter impactos no c√©rebro.

O artigo cient√≠fico IL-4 shapes microglia-dependent pruning of the cerebellum during postnatal development, publicado na NEURON, prestigiada revista da √°rea das neuroci√™ncias, teve como objetivo principal ‚Äúestudar a intera√ß√£o da resposta al√©rgica no cerebelo, que √© uma regi√£o que se desenvolve essencialmente no per√≠odo p√≥s-natal‚ÄĚ, explica o l√≠der do Grupo de Investiga√ß√£o em Circuitos Neuronais e Comportamento do Centro de Neuroci√™ncias e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC-UC), Jo√£o Pe√ßa. ‚ÄúSabemos que existem c√©lulas do sistema imune no c√©rebro e que estas respondem a mensagens e  Ĺinstru√ß√Ķes ľ da periferia, mas percebemos muito pouco sobre esta rela√ß√£o nos per√≠odos cr√≠ticos ap√≥s o nascimento‚ÄĚ, contextualiza o tamb√©m docente do Departamento de Ci√™ncias da Vida da Faculdade de Ci√™ncias e Tecnologia da Universidade de Coimbra (DCV/FCTUC).

Na fase ap√≥s o nascimento, ‚Äúem condi√ß√Ķes normais, o cerebelo em desenvolvimento necessita de  Ĺcrescer ľ, mas tamb√©m de ser  Ĺpodado ľ, dando-se a elimina√ß√£o de neur√≥nios excedent√°rios por c√©lulas chamadas microglia‚ÄĚ, explica Jo√£o Pe√ßa. ‚ÄúNum processo de resposta al√©rgica severa, a microglia n√£o desempenha esta  Ĺpoda ľ de forma eficiente, o que resulta na sobreviv√™ncia dos neur√≥nios em excesso, que perturbam o bom funcionamento do cerebelo‚ÄĚ, acrescenta. Neste trabalho em modelos animais, a equipa de investiga√ß√£o conseguiu ainda observar que quando n√£o acontece esta  Ĺpoda ľ, ‚Äúdecorrem altera√ß√Ķes no funcionamento dos circuitos do cerebelo, hiperlocomo√ß√£o e hiperatividade, caracter√≠sticas associadas √† PHDA‚ÄĚ, avan√ßa o investigador do CNC-UC.

Sobre futuras pesquisas nesta linha de investiga√ß√£o, Jo√£o Pe√ßa sublinha a import√Ęncia de ‚Äúperceber em maior detalhe por que motivo o cerebelo √© particularmente afetado nestes processos, assim como a janela cr√≠tica do momento da  Ĺpoda ľ, uma vez que se o est√≠mulo al√©rgico surgir numa fase mais tardia do desenvolvimento j√° n√£o aparecem altera√ß√Ķes neurocomportamentais‚ÄĚ.

Neste momento, o Grupo de Investiga√ß√£o em Circuitos Neuronais e Comportamento do CNC-UC est√° a investigar tamb√©m como √© que o cerebelo regula a liberta√ß√£o de dopamina no contexto da PHDA, uma vez que ‚Äúa compreens√£o desse circuito e neurotransmissor poder√° ajudar a perceber melhor esta perturba√ß√£o‚ÄĚ, avan√ßa o investigador. A PHDA resulta em dificuldades de aprendizagem e comportamento impulsivo, afetando, sobretudo, crian√ßas entre os 6 e os 12 anos de idade, podendo ter impactos at√© √† idade adulta.

A investigação foi liderada pelos cientistas da Universidade de Coimbra João Peça, Joana Guedes, Ana Luísa Cardoso e Pedro Ferreira. Contou ainda com a participação de outros investigadores da UC, como também da Universidade Johannes Gutenberg de Mainz e da Universidade de Manchester.

O artigo científico e a lista completa de autores estão disponíveis em sciencedirect.com/science/article/pii/S0896627323007183.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.