Home » Economia » Banca » Juros dos Dep√≥sitos Banc√°rios em Portugal
Juros dos Depósitos Bancários em Portugal

Juros dos Depósitos Bancários em Portugal

O Banco Central Europeu (BCE) colocou em julho do ano passado, um ponto final nas taxas de juro zero ou negativas. A principal missão da autoridade monetária do euro é a estabilidade dos preços, pelo que, a subida galopante da inflação levou o banco central a mudar de estratégia e a começar a subir os juros, acompanhando assim as medidas que outros bancos tinham já tomado.

Os efeitos, como reflete a Allianz Trade, acionista da COSEC ‚Äď Companhia de Seguro de Cr√©ditos, no estudo recente Rates, not Roses, fizeram-se sentir nos v√°rios atores econ√≥micos, assim como nas v√°rias economias, incluindo Portugal.

As famílias na Zona Euro estiveram entre os atores económicos que perderam com as taxas de juro negativas. Apesar das taxas para os novos depósitos e empréstimos para as famílias estarem também a subir, o ritmo comparado com o que está a ser aplicado pelos bancos centrais é muito mais lento.

‚ÄúAnalisando se as mudan√ßas nas taxas de juro j√° chegaram realmente √† economia, percebemos que, para os agregados familiares, a resposta √© sim e n√£o. A taxa de juro m√©dia ponderada dos novos empr√©stimos j√° escalou em alguns pa√≠ses: o aumento ao longo de 2022 (Janeiro a Novembro) varia, indo desde os 24 pontos-base em Fran√ßa, aos 97 pontos base na Alemanha. J√° a m√©dia na Zona Euro ascende a 58 pontos-base. Embora seja percept√≠vel este aumento acompanha a altera√ß√£o nas taxas de juro de refer√™ncia. O retrato no que diz respeito aos novos dep√≥sitos √© muito parecido, com os aumentos a irem desde os 5 pontos base em Portugal e os 106 pontos base na Finl√Ęndia‚ÄĚ, afirma Arne Holzhausen, Head of Insurance, Wealth and Trend Research da Allianz Trade.

No entanto, no caso dos empr√©stimos para as empresas, a subida das taxas de juro de refer√™ncia ainda n√£o tiveram impacto. Em m√©dia, no ano passado e na Zona Euro, as taxas de juro ca√≠ram mais devido a taxas de juro fixas a longo prazo. Apenas em dois pa√≠ses, de acordo com os especialistas da acionista da COSEC, – Portugal e a Finl√Ęndia ‚Äď tiveram aumentos de mais de 20 pontos base nas taxas de juro m√©dias para empr√©stimos a companhias, algo que pode dever-se ao n√ļmero de cr√©ditos com taxa vari√°vel.

Setor p√ļblico

Com a evolu√ß√£o das taxas de juro, por parte do BCE, nota a l√≠der mundial de seguro de cr√©ditos, o setor p√ļblico na √°rea do euro, que se financia sobretudo no mercado, j√° come√ßa a sentir os efeitos. O pagamento de juros subiu quase 20% para 207 mil milh√Ķes de euros no ano passado, o que representa o valor mais elevado desde 2017. Ainda assim, √© poss√≠vel dizer que o setor p√ļblico na Zona Euro continuou a ser um dos vencedores da pol√≠tica de taxas de juro negativas: as varia√ß√Ķes anuais nos pagamentos de juros l√≠quidos levaram √† gera√ß√£o de uma poupan√ßa total de 405 mil milh√Ķes de euros.

Sobre a COSEC

A COSEC √© a seguradora l√≠der em Portugal no ramo do seguro de cr√©ditos, que oferece solu√ß√Ķes para apoio √† gest√£o e controlo de cr√©ditos, bem como garantias de seguro cau√ß√£o.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.