Home | Desporto | Competições | Muita dureza e emoção na Baja de Loulé 2021
Muita dureza e emoção na Baja de Loulé 2021

Muita dureza e emoção na Baja de Loulé 2021

O Estádio Algarve foi o palco de partida para a Baja de Loulé 2021, prova decorreu entre as serras do Caldeirão e de Silves, com passagens pelos concelhos como Loulé, Silves, Almodôvar, S. Brás de Alportel e Alcoutim, num misto entre piso duro e secções, que fizeram parte de anteriores provas do regional sul de ralis e do WRC.

A Baja de Loulé consagrou no fim de semana, Alexandre Ré/Francisco Esperto (Autos), António Maio (Motos), Nuno Fontes (SSV) e Luís Engeitado (Quads), nesta que foi a segunda prova dos respetivos calendários nacionais.

As motos foram quase sempre lideradas por António Maio (Yamaha), com o pluricampeão nacional a conseguir mais um triunfo no Algarve, ele que só no prólogo é que não liderou, cabendo essa posição a Bruno Santos (Husqvarna), piloto que viria a terminar na segunda posição e a vencer na categoria TT3, na frente de Gustavo Gaudêncio (Honda), o mais rápido entre os TT1. Filipe Fragoso (Promoção), Óscar Teixeira (Veteranos), Salvador Amaral (Junior) e Janaina Souza (Senhoras), foram os vencedores nos outros grupos em competição.

Nos SSV, houve luta até final com Nuno Fontes a conseguir trazer suplantar João Monteiro/Victor Melo e a deixar ficar o troféu de primeiro lugar em Loulé. O terceiro lugar foi para Pedro Carvalho/André Guerreiro, depois de uma luta intensa com Alexandre Pinto/Fábio Belo (primeiros classificados entre os Júniores) e Lourenço Rosa/Joaquim Dias, que sofreram problemas no final. André Rodrigues e Ricardo Porto Nunes foram os mais rápidos na categoria TT2 no Yamaha com as cores do Benfica.

Entre a recheada lista de quads presentes, a emoção foi ao rubro, pois se, no final do primeiro dia, a liderança parecia estar assegurada para Luís Engeitado, o piloto acabou por sofrer alguns problemas no início que o levaram a perder a liderança para Fábio Ferreira e Ruben Alexandre. Contudo, o primeiro partiu a corrente do quad, enquanto que o segundo sofreu um acidente que levou a organização a solicitar apoio médico, entregando assim de novo a liderança, até final, a Luís Engeitado. Seguiram-se ainda Luís Fernandes e Rafael Carvalho, todos em Yamaha.

Por fim, nos automóveis fez-se história com o primeiro triunfo de um SSV numa prova sob a égide da FPAK, com Alexandre Ré e Francisco Esperto a triunfarem de forma peremptória no Can-Am assistido pela South Racing, triunfando também na classificação destinada à Taça Ibérica de TT. Em segundo lugar ficaram os espanhóis Luis Recuenco/Sergio Peinado em Mini All4Racing e em terceiro lugar André Amaral, navegado pelo farense Nelson Ramos numa Ford Ranger, com muitos dos candidatos à vitória a terem ficado pelo caminho, tais como João Ramos, Nuno Madeira ou Alejandro Martins, este logo no prólogo. O melhor classificado entre os T2 foi Georgino Pedroso, desta feita navegado pelo antigo campeão nacional Rui Sousa, em Isuzu, enquanto que nos T8 a vitória pertenceu a Ricardo Nascimento/Jorge Fernandes, feito que conseguiram mesmo no final ao beneficiar da desistência de Michael Braun/Ivo Santos.

A Baja de Loulé 2021 foi uma organização do Clube Automóvel do Algarve, sob a égide da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e da Federação de Motociclismo de Portugal, com o alto patrocínio do Município de Loulé e o apoio dos municípios de Silves, Alcoutim, S. Brás de Alportel, Tavira e Almodôvar e ainda do Medronhito do Caldeirão.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.