Home » Economia » Neg√≥cios » Neg√≥cio do vinho afetado pelos vidreiros
Negócio do vinho afetado pelos vidreiros

Negócio do vinho afetado pelos vidreiros

A baixa gradual do custo da energia, que se tem refletido positivamente nos fretes de transporte em navio, não teve lamentavelmente ainda qualquer reflexo no fornecimento das embalagens de vidro, as garrafas, que continuam a ser colocadas no mercado com preços recorde.

Em nota enviada √†s reda√ß√Ķes, a ANCEVE ‚Äď Associa√ß√£o Nacional dos Comerciantes e Exportadores de Vinhos e Bebidas Espirituosas, apela ao governo no sentido de intervir junto dos fabricantes do setor vidreiro nacional. “Se √© certo que o custo energ√©tico teve um aumento, √© ineg√°vel que este j√° est√° h√° v√°rios meses a ser aliviado. Estranhamente, n√£o h√° qualquer reflexo no custo das garrafas.”

De Norte a Sul do País, os produtores de vinho estão a ser confrontados com custos do vidro que estão em média mais de 55% acima dos valores pré-guerra e com alcavalas no seu fornecimento (taxa de energia, valor do transporte e exigência de pagamento antecipado).

Acresce que continua a registar-se escassez de muitos modelos de garrafas ao contrário do que acontece noutros países vinícolas concorrentes, o que tem obrigado os produtores a alterarem constantemente procedimentos e rotulagem, para adaptarem a sua produção aos modelos disponíveis, o que afecta gravemente a consistência das suas estratégias comerciais e de marketing.

De acordo com dados divulgados pelo Instituto da Vinha e do Vinho, Portugal produziu na √ļltima vindima cerca de 688 milh√Ķes de litros de vinho. Sendo que a maior parte do vinho Portugu√™s √© engarrafado, √© bom de ver n√£o s√≥ a import√Ęncia que o vidro tem para este sector, mas al√©m disso, como o vinho √© o principal exportador de vidro portugu√™s para os quatro cantos do mundo.

Para muitos produtores, sobretudo os que se posicionam em segmentos mais competitivos, o aumento do custo do vidro, que não tem paralelo noutros países, deixa-os dramaticamente fora do mercado.

A ANCEVE pede ao Governo que estabeleça urgentemente uma plataforma de diálogo, para que, sob o seu alto patrocínio, representantes dos sectores do vinho e do vidro possam analisar a situação e procurar a forma mais eficaz de abordar e resolver este gravíssimo problema.

Fundada em 1975, a ANCEVE ‚Äď Associa√ß√£o Nacional dos Comerciantes e Exportadores de Vinhos e Bebidas Espirituosas representa produtores e engarrafadores de vinhos e bebidas espirituosas das principais regi√Ķes do Pa√≠s.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.