Home » Atualidade » Nacional » O custo dos escrit√≥rios prime em Lisboa pode atrair internacionais
Custo dos espaços de escritórios prime em Lisboa pode atrair ocupantes internacionais

O custo dos escritórios prime em Lisboa pode atrair internacionais

O baixo custo de ocupa√ß√£o para espa√ßos de escrit√≥rios prime em Lisboa poder√° atrair ocupantes internacionais √† capital portuguesa. Segundo o estudo semestral da CBRE relativo √† ocupa√ß√£o em escrit√≥rios prime em 126 mercados de todo o mundo, os custos de ocupa√ß√£o (renda e despesas comuns) continuaram a aumentar ao longo do ano transato, em conson√Ęncia com a recupera√ß√£o econ√≥mica global.

Durante os 12 meses que terminaram no terceiro trimestre de 2013, os custos de ocupação em escritórios prime globais cresceram a um ritmo anual de 2,2%, uma subida face à taxa de crescimento de 1,4% registada durante os 12 meses terminados no primeiro trimestre de 2013.

A regi√£o das Am√©ricas registou a taxa de crescimento mais elevada em varia√ß√£o hom√≥loga, com 4,6%, seguida pela √Āsia-Pac√≠fico, com 3,2%, e EMEA, com 0,4 %. Este posicionamento reflete a for√ßa relativa das condi√ß√Ķes da oferta e da procura para os espa√ßos prime em cada regi√£o.

A cidade com custo de ocupação mais alto é Londres (West End) com um valor anual de 2.062,52 Euros por m2, seguida de Hong Kong (1.865 Euros/m2/ano) e Pequim com 1.567 Euros/m2/ano. Na Europa, a cidade mais cara a seguir a Londres é Paris, que apresenta um custo total de ocupação anual por metro quadrado de 970,97 Euros. Na nossa vizinha Espanha, os escritórios prime em Madrid custam 420 Euros/m2/ano, numa altura em que as rendas estão num valor bastante baixo. Os escritórios prime de Lisboa apresentam um custo anual por metro quadrado de 296,70 Euros.

Segundo Francisco Horta e Costa, Diretor-Geral da CBRE Portugal, ‚Äúesta √© uma excelente oportunidade para que a cidade de Lisboa se afirme como uma cidade bastante competitiva face √†s suas cong√©neres europeias, podendo assim atrair ocupantes internacionais que procuram reduzir os seus custos de ocupa√ß√£o‚ÄĚ Francisco Horta e Costa acrescenta que ‚Äúse n√£o considerarmos as rendas prime, a diferen√ßa √© substancialmente maior e a nossa competitividade aumenta. Al√©m disso, Lisboa tem uma qualidade de vida incomparavelmente melhor que a maior parte das cidades objeto deste estudo‚ÄĚ.

Partilhe:
O baixo custo de ocupa√ß√£o para espa√ßos de escrit√≥rios prime em Lisboa poder√° atrair ocupantes internacionais √† capital portuguesa. Segundo o estudo semestral da CBRE relativo √† ocupa√ß√£o em escrit√≥rios prime em 126 mercados de todo o mundo, os custos de ocupa√ß√£o (renda e despesas comuns) continuaram a aumentar ao longo do ano transato, em conson√Ęncia com a recupera√ß√£o econ√≥mica global. Durante os 12 meses que terminaram no terceiro trimestre de 2013, os custos de ocupa√ß√£o em escrit√≥rios prime globais cresceram a um ritmo anual de 2,2%, uma subida face √† taxa de crescimento de 1,4% registada durante os 12…

Review Overview

User Rating: 4.65 ( 1 votes)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.