O Turismo na Região de Lisboa gerou 19,7% do PIB

571

O estudo da Deloitte realizado para a Associação Turismo de Lisboa (ATL), conclui que a atividade turística na região, gerou em 2017, mais de 13,7 mil milhões de euros, tendo sido responsável por 182 mil postos de trabalho, estimando-se que o setor na Região tenha correspondido a 19,7% do PIB.

Segundo os dados do estudo, Lisboa registou um aumento médio anual de 11,1% na riqueza criada pela cadeia de valor do Turismo desde 2005 e de 14,3% no nível de emprego em comparação com 2015.

Por sub-setores, o alojamento e restauração (42,1%), as atividades culturais e desportivas (17,8%), o comércio (16,9%), os transportes (14,2%), a construção (4,1%) e outras atividades de serviços (4,9%) , explicam a dinâmica da atividade, na região de Lisboa

O estudo indica que foi notório o aumento da oferta nas diferentes atividades que integram o setor do Turismo na Região de Lisboa. Em 2017, comparando com 2015, o comércio registou mais 448 milhões de euros, a hotelaria e alojamento local mais 353 milhões de euros, a animação mais 264 milhões de euros, os transportes mais 243 milhões de euros, a restauração mais 236 milhões de euros e os congressos e reuniões mais 60 milhões de euros.

A dinâmica crescente das diferentes atividades e agentes da cadeia de valor do setor, sinalizada neste estudo, assenta numa estratégia concertada entre entidades públicas e privadas com o objetivo de reforçar a atratividade de Lisboa enquanto destino turístico de excelência, o que se reflete no aumento do número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros, parques de campismo e alojamento local. Entre 2015 e 2017, foi registado um crescimento anual de 15,5% de hóspedes na Região, passando de 7,3 milhões de hóspedes para 9,7 milhões.

Neste período, a capacidade hoteleira acompanhou esta evolução através do aumento do número de quartos e, paralelamente, Lisboa assistiu a um grande aumento do alojamento local. Apesar deste aumento da oferta de alojamento, nas várias componentes, verificou-se uma notória melhoria da performance operacional em 2017, com a taxa de ocupação a passar para 77,5% (71,7% em 2015) e o preço por quarto disponível (RevPar) a atingir os 77,7€, quando em 2015 ficava nos 59,6€.

A maioria dos turistas estrangeiros que visitaram Lisboa eram provenientes do Brasil, França, Espanha, EUA, Alemanha, Reino Unido e Itália. Em média, gastaram 161,1€ por dia e ficaram 2,3 noites na Região. O estudo indica ainda que 94% chegou de avião e que 92% visitou Lisboa em lazer, sendo que 76% o fez num registo de City & Short Break. Cerca de 10,5% já visitou Lisboa mais do que uma vez.

Analisando a evolução da população residente, verifica-se que, entre 2015 e 2017, aumentou 0,7% na região e 0,3% na cidade. Recorde-se que, de acordo com o estudo Intercampus, realizado no ano passado para a ATL, 89% dos residentes em Lisboa considera que o turismo é positivo, melhora a imagem da cidade e do país no estrangeiro, desenvolve a economia e tem impacto positivo na maior parte das áreas económicas, assim como na preservação e reabilitação do património.

A melhoria global dos principais indicadores reflete o efeito multiplicador do Turismo e confirma que o setor é vital para a economia de Lisboa e do país. Para garantir a sua sustentabilidade a médio e longo prazo, o o setor deve manter o dinamismo e a capacidade de inovação demonstrados nos últimos anos.

Para fazer face aos novos desafios do setor, são apontados como caminhos a explorar o alargamento dos pontos de interesse turístico, o investimento nos serviços de transporte e infraestruturas, a dinamização do produto Meetings Industry e a aposta em plataformas de viagens e outras ferramentas digitais.

A Associação Turismo de Lisboa (ATL) foi criada em 1997. A ATL é uma entidade privada sem fins lucrativos com mais de 800 associados que se dedicam, no todo ou parcialmente, à economia do Turismo da região, com a missão de promover Lisboa como destino turístico de excelência.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close