Home » Sociedade » Iniciativas » Os desafios que os cuidadores informais enfrentam
Os desafios que os cuidadores informais enfrentam

Os desafios que os cuidadores informais enfrentam

O inquérito realizado pela Merck com o apoio do Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais, quer perceber quais os desafios psicológicos que a maioria dos cuidadores informais enfrenta, em Portugal. O estudo nacional, pretende identificar esses desafios, para facilitar a criação de respostas

Quando convidados a eleger os principais desafios associados √† tarefa de cuidar, a esmagadora maioria (64,6%) dos cuidadores informais em Portugal n√£o tem d√ļvidas em apontar o aspeto emocional/psicol√≥gico. De resto, o apoio a este n√≠vel surge mesmo em primeiro lugar na lista de ajudas de que dizem necessitar: 26,2% salientam esta necessidade, refor√ßando que o desgaste emocional √© ainda mais pesado que o f√≠sico.

Se d√ļvidas houvesse, os dados, retirados de um inqu√©rito feito √† popula√ß√£o de cuidadores informais nacionais pelo Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais, confirmam que quem cuida enfrenta v√°rios desafios psicol√≥gicos a que √© necess√°rio dar resposta. Mas que desafios s√£o estes? A quest√£o serve de ponto de partida para um inqu√©rito nacional, que visa conhecer a realidade psicol√≥gica dos cuidadores em Portugal.

Trata-se de uma iniciativa da Merck, com o apoio do Movimento e da Psic√≥loga Ana Carina Valente, docente do ISPA – Instituto Universit√°rio de Ci√™ncias Psicol√≥gicas Sociais e da Vida e membro da Ordem dos Psic√≥logos, que pretende inquirir sobre a sa√ļde mental e bem-estar do cuidador informal, numa tentativa de avaliar que outras medidas podem ser implementadas no sentido de ajudar quem cuida. O inqu√©rito est√° dispon√≠vel em: questionpro.com.

Apela-se a todos os cuidadores informais que colaborem com as suas respostas. Os resultados serão depois divulgados, junto de toda a população.

Esta iniciativa insere-se no √Ęmbito da semana ‚ÄėAs One For Patients‚Äô, que a Merck dedica, anualmente, ao doente. Desde 2020 que a Merck tem apoiado os cuidadores informais em Portugal atrav√©s da cria√ß√£o do Movimento, que re√ļne mais de 30 associa√ß√Ķes e tem realizado, este ano, dezenas de sess√Ķes de esclarecimento por todo o Pa√≠s, em parceria com algumas autarquias, no √Ęmbito do projeto Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais (RACCI).

Para mais informa√ß√Ķes, consultar: movimentocuidadoresinformais.pt/

Sobre o Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

Reconhecidos recentemente por um Estatuto que, apesar de um importante avan√ßo social, continua incapaz de travar por completo o perpetuar de algumas injusti√ßas, os cuidadores t√™m estado em destaque nos √ļltimos tempos. E √© porque, apesar de insubstitu√≠veis, muitos continuam ainda invis√≠veis, que a Merck Portugal decidiu, no seguimento de um projeto corporativo global, o ‚ÄėEmbracing Carers‚Äô, lan√ßar, em 2020, no Pa√≠s um Movimento que tem como miss√£o ‚ÄėCuidar dos Cuidadores Informais‚Äô. Este movimento, apoiado pela Merck, conta com dezenas de associa√ß√Ķes portuguesas que t√™m como objetivo concretizar projetos capazes de ajudar, na pr√°tica, quem cuida, seja do marido, da mulher, de um filho, do pai, da m√£e.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.