Home » ZZZ Autores » Ernani Balsa » OS SONHOS S√ÉO SEMPRE COLORIDOS

OS SONHOS SÃO SEMPRE COLORIDOS

Ernani Balsa

Ernani Balsa

Todas as semanas chego aqui, a esta mesma p√°gina em branco e interrogo-me. √Č certo que muitas vezes j√° tenho em mente algo sobre o que escrever. Falta-me apenas a forma, o tom e encontrados esses condimentos da escrita, o texto flui naturalmente e encontro at√© novas abordagens que o podem enriquecer. Mas o que fazer quando apenas se quer escrever sobre o nada? Escrever como meio de reflex√£o? Como catarse de qualquer coisa ou simplesmente, de coisa nenhuma?

O estigma da p√°gina em branco √©, mais do que um desafio, por vezes, uma ang√ļstia, ou ent√£o, o desaguar dum impulso incontrol√°vel que se sublima num enorme al√≠vio. H√° mesmo quem diga que o tamb√©m poss√≠vel terror deste espa√ßo em branco, como que um abismo de aus√™ncia que tende a nos intimidar, s√≥ se pode resolver indo em frente, sem pensar muito naquilo que v√£o ser as primeiras letras, as primeiras palavras, a primeira frase, a primeira ideia ainda por construir…

Como dizia Saramago, e para quem, como eu e muitos outros, hoje em dia substitu√≠ram o doce e sensual deslizar do aparo, da esfera ou da ponta do instrumento de escrita, pelo ritmo, tamb√©m ele inspirador do matraquear dum teclado, o que o chama √† escrita, √© o incans√°vel e hipn√≥tico piscar do cursor num √©cran de computador. H√° portanto imensas maneiras de ultrapassar esta ang√ļstia do vazio e da brancura duma folha sem nada escrito…

√Äs vezes, basta um pequeno pormenor para nos arrancar deste estado inerte dos dedos flutuando, ainda sem o derradeiro sinal para atacarmos a constru√ß√£o da escrita por cima do teclado. Uma pequena ideia, um acaso, um epis√≥dio, na altura sem import√Ęncia, mas que a maravilha do pensamento nos faz torn√°-lo num tema que de repente toma conta de n√≥s. No meu caso, tanto posso ter uma ideia j√° vagamente constru√≠da, como partir do vazio absoluto.

Esta urg√™ncia de escrever com data marcada, ter este desenho de palavras pronto a cumprir um compromisso com quem publica e quem l√™, empurra-me inexoravelmente para o confronto com o tal abismo de que falava, sendo portanto inadi√°vel tomar a atitude que se imp√Ķe… Sinto desfilar dentro de mim uma mir√≠ade de temas que poderia aqui abordar. Hoje, por exemplo, poderia abordar a ‚Äútrag√©dia‚ÄĚ do chumbo, pelo Tribunal Constitucional, da lei da converg√™ncia das pens√Ķes. Muito provavelmente iria somar o meu texto a um inquantific√°vel n√ļmero de artigos sobre o mesmo tema, embora de teores e orienta√ß√Ķes diversas, mas esse tema come√ßa j√° a ser recorrente, de tal forma o governo tem insistido nesta pol√≠tica de confronto recursivo com princ√≠pios essenciais da nossa Constitui√ß√£o e do seu Tribunal.

Por outro lado, se j√° aqui dei sinais de n√£o saber concretamente falar sobre o natal, porque d√ļvidas e incertezas me bloqueiam uma forma sustentada de raciocinar sobre algo irracional, tamb√©m a pol√≠tica, fundo inesgot√°vel de inspira√ß√£o, vem ganhando foros de tema de mau gosto, dada a vulgaridade e mesmo baixeza da sua forma de exerc√≠cio e mais ainda dos seus executores, que cada vez menos merecem qualquer aten√ß√£o ou enfoque cred√≠vel e s√©rio. A classe pol√≠tica do t√£o famigerado arco da governa√ß√£o, forma eufem√≠stica de apelidar aqueles cujo compadrio, propens√£o a conluios, falta de √©tica e abund√Ęncia de impud√™ncia se disponibilizam a alternar o poder, independentemente de cores partid√°rias diferentes, salvaguardando assim a sua eterniza√ß√£o na governa√ß√£o e satisfazendo a cobi√ßa e sede de poder deles todos, a essa classe pol√≠tica, cada vez menos reconhe√ßo uma ribalta que n√£o se coaduna com o estado progressivamente deplor√°vel a que este pa√≠s tem chegado, por seu esfor√ßo e vontade.

Acho, portanto, que me resta falar de nada, que √© tamb√©m uma maneira consequente de assinalar o vazio de progresso e esperan√ßa de futuro de que podemos ter consci√™ncia neste aproximar de fim de ano. O nada, esse an√°tema da disserta√ß√£o, da dial√©ctica da coisa nenhuma, do discurso do absurdo, pode estar √† beira de poder abandonar essa carga negativa e ascender a tema quase √ļnico de discuss√£o, porque tudo √© cada vez mais vazio. Vazio de valores, vazio de perspectivas, vazio de oportunidades, vazio de √©tica, vazio de compet√™ncias, vazio de pudor e vazio at√© de humanidade e sentido de respeito entre pares. A vacuidade est√° a ganhar terreno sobre o valor e conte√ļdo do ser humano. A despoj√°-lo desses atributos em benef√≠cio de uma nova identidade amorfa e inflex√≠vel, tecnocrata e isenta de sentimentos e emo√ß√Ķes.

Eis porque falar da aus√™ncia ou inexist√™ncia daquilo que deveria ser um tema, pode ser um sofisma para disfar√ßar uma inspira√ß√£o, tamb√©m ela ausente, mas poder√° tamb√©m n√£o deixar de ser um desafio para nos debru√ßarmos sobre a ascend√™ncia do vazio ao poder. O vazio de princ√≠pios e valores levar-nos-√° inexoravelmente a um abismo na humanidade, um buraco negro apenas colorido pela aus√™ncia da pr√≥pria cor… e sem cor, n√£o existe profundidade ou dimens√£o. Entre o negro e o branco, √ļnicas cores poss√≠veis para o vazio, existe apenas o desconhecido que n√£o tem nem dimens√£o nem volume ou conte√ļdo. √Č coisa nenhuma √† procura de alguma coisa…

Por isso, escrever sobre coisa nenhuma n√£o √© assim tanto um exerc√≠cio sobre o nada, mas antes o mergulhar numa procura constante que nunca se consome nem termina. √Č escrever sobre o nosso eterno desconhecimento, com o conhecimento que em cada momento temos das coisas, das pessoas e do mundo. Aprofundar o nosso conhecimento sobre o vazio, o negro do desconhecimento e o infinito espa√ßo da brancura, poder-nos-√° levar ao encontro das solu√ß√Ķes e das cores para preenchermos o cinzentismo deste mundo que os governantes de hoje em dia apontam como futuro, porque o futuro nunca poder√° ser cinzento. Os sonhos s√£o sempre coloridos‚Ķ

Por: Ernani Balsa
“escreve sem o acordo ortogr√°fico”

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.