O setor hoteleiro algarvio, a força motrix da economia da região, vê caír a pique as taxas de ocupação, resultante da propagação do COVID-19, um forte golpe para empresas e profissionais, com atividade reduzida a zero.

Queda a pique da taxa de ocupação hoteleira no Algarve

O setor hoteleiro algarvio, a força motrix da economia da região, vê caír a pique as taxas de ocupação, resultante da propagação do COVID-19, um forte golpe para empresas e profissionais, com atividade reduzida a zero.

Dados provisórios divulgados pela AHETA, em Março, a taxa de ocupação global média por quarto, foi de 28,6%, 45,8% abaixo do valor verificado em 2018, o registo mais baixo desde sempre para o mês de março.


Os mercados que mais contribuíram para a descida verificada foram o nacional (-54,5%), o alemão (-51,7%) e o britânico (-48,9%).

O volume de vendas diminuiu 29,8%. Desde o início do ano a taxa de ocupação quarto regista uma descida média de 13,8% e o volume de vendas uma descida de 1,4%, impulsionada

Ao longo do mês de março, cerca de 60% da oferta disponível encerrou devido à pandemia do COVID-19. Cerca de 10% encerrou em 1 de abril, enquanto a generalidade da restante oferta também se preparava para o fazer.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close