Home » Ambiente & Natureza » Governo e Repsol promovem a refloresta√ß√£o

Governo e Repsol promovem a reflorestação

O lan√ßamento do “Motor Verde +Floresta”, o maior projeto de refloresta√ß√£o de grande escala em Portugal, para a compensa√ß√£o da pegada de carbono, foi formalizado esta sexta feira em protocolo, assinado pela Funda√ß√£o Repsol e o Minist√©rio do Ambiente e A√ß√£o Clim√°tica.

António Costa, o Primeiro Ministro, participou no evento em que o Ministro do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, o Presidente da Repsol, Antonio Brufau, e o Diretor do Grupo Sylvestris, Jaime Rábago, assinaram o acordo.

Esta iniciativa une o interesse e o compromisso do Governo para uma transição energética justa e sustentável com a Fundação Repsol, o Grupo Sylvestris, e uma equipa de especialistas que, desde 2021, está a desenvolver este projeto com grande sucesso em Espanha.

A implementa√ß√£o do projeto Motor Verde +Floresta em Portugal representa um marco sem precedentes na refloresta√ß√£o do pa√≠s, com o objetivo de recuperar a biodiversidade em 100.000 hectares, atrav√©s da planta√ß√£o de mais de 90 milh√Ķes de √°rvores de esp√©cies aut√≥ctones, ap√≥s os efeitos devastadores dos inc√™ndios nos √ļltimos anos, que representaram uma perda de mais de 90.000 hectares de floresta por ano, desde 2017.

O Presidente da Repsol, Antonio Brufau, salientou que “a captura de CO2 nos meios naturais, como as florestas, apoiada por tecnologia de sat√©lite para o controlo e monitoriza√ß√£o do desenvolvimento das massas florestais √©, sem d√ļvida, outra grande oportunidade para a economia e para os desafios dos nossos pa√≠ses em termos de transi√ß√£o energ√©tica“.

Gra√ßas √† a√ß√£o natural das √°rvores, que absorvem o carbono da atmosfera e fixam-no nos seus tecidos para que possam crescer, este projeto permitir√° compensar mais de 25 milh√Ķes de toneladas de CO2.

Este projeto pretende promover o mercado volunt√°rio de carbono, concretizando projetos de refloresta√ß√£o de alta qualidade, de acordo com os mais elevados padr√Ķes de qualidade a n√≠vel nacional e internacional, que vai contribuir para posicionar a Pen√≠nsula Ib√©rica, concretamente Portugal, como um reservat√≥rio de carbono relevante na Europa.

Com os trabalhos de refloresta√ß√£o vai ser poss√≠vel gerar milhares de oportunidades de emprego local e inclusivo, e promover-se-√° a colabora√ß√£o com a administra√ß√£o p√ļblica e entidades sociais para promover a contrata√ß√£o de grupos vulner√°veis. Do mesmo modo, tamb√©m associado ao projeto, a Funda√ß√£o Repsol colocar√° em marcha um programa com diferentes iniciativas formativas para melhorar a empregabilidade no setor florestal e promover o empreendedorismo verde entre os habitantes das zonas onde decorra a refloresta√ß√£o.

O desenvolvimento do projeto contará com empresas locais, que através do incentivo à criação de novos negócios ligados ao setor florestal, ajudarão a promover a economia local, e na atração de atividade económica e riqueza nas comunidades envolventes.

Outro dos aspetos-chave do projeto √© a aplica√ß√£o de tecnologia no setor florestal. O Motor Verde +Floresta conta com o apoio da Hispasat, um parceiro tecnol√≥gico de refer√™ncia, atrav√©s do qual se tem utilizado tecnologia de sat√©lite para a prote√ß√£o integral das florestas contra inc√™ndios e para a monitoriza√ß√£o do crescimento das massas florestais, o que √© fundamental para fornecer rigor ao mercado de compensa√ß√£o volunt√°ria de emiss√Ķes. Al√©m disso, a implanta√ß√£o desta tecnologia tornar√° poss√≠vel levar conectividade WiFi de banda larga gratuita aos habitantes das zonas remotas onde as planta√ß√Ķes s√£o realizadas, promovendo a coes√£o social e digital.

O objetivo √© desenvolver um projeto-piloto nos pr√≥ximos anos no Norte do pa√≠s, reflorestando uma √°rea de 5.000-10.000 hectares com mais de 9.000 √°rvores de esp√©cies aut√≥ctones, que permitir√£o a absor√ß√£o de 2,5 milh√Ķes de toneladas de CO‚āā, gerando um impacto positivo e significativo no emprego e na economia local.

Já estão em curso trabalhos numa área de 58,5 hectares em Alpedrinha, Cardigos e Sardoal, afetados por dois incêndios em 2017 e 2019. Para a certificação internacional deste projeto de absorção, os projetos estão a desenvolver-se de acordo com as normas de Verra, num projeto-piloto para certificar o primeiro projeto em Portugal com créditos VCS (Verified Carbon Standard).

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.