Riscos na utilização de sistemas de aquecimento doméstico

Riscos na utilização de sistemas de aquecimento doméstico

789

A APSEI – Associação Portuguesa de Segurança, alerta para o perigo na utilização de sistemas de aquecimento nas habitações, os quais podem ser causadores de incêndios domésticos ou de tragédias humanas, devido à produção de gases intoxicantes, quando manuseados de forma descuidada.

As mais recentes ocorrências com vítimas graves ou mortais por intoxicação de monóxido de carbono em Gondezende, Esmoriz, e Guilhovai, Ovar, tiveram origem na libertação de gás tóxico e inflamável, provocados pelos sistemas de aquecimento, segundo as entidades de socorro e salvamento.

Cientes de que atravessamos a fase mais fria do ano, muitas famílias recorrem a sistemas de aquecimento para melhorar a temperatura no interior das habitações, a APSEI alerta uma vez mais para a importância de se utilizar corretamente estes equipamentos, de forma a evitar perdas humanas e/ou materiais. Aquecedores a gás, lareiras, salamandras, aquecedores a óleo, braseiros, entre outros, podem provocar incêndios ou intoxicações, sendo de extrema importância, respeitar as boas práticas quando se recorre a estes sistemas.

A existência de fogo está sempre dependente de três fatores, a que se chama triângulo do fogo: combustível (gás, lenha, pinhas, mantas, cobertores, cortinados, etc.), comburente (oxigénio) e energia de ativação (temperatura).

Os sistemas de aquecimento com a presença de chama, como braseiras, fogareiros, aquecedores a gás, ou lareiras, por exemplo, precisam de oxigénio (comburente) para funcionar, ou seja, estão a consumir o oxigénio existente na zona da casa onde se encontram. Por sua vez, a combustão origina monóxido de carbono que, quando não libertado, pode ser letal. De forma a serem evitadas situações de intoxicação por monóxido de carbono, nunca feche por completo as janelas e/ou as portas do compartimento. E é igualmente importante permitir a ventilação do espaço para evitar um incêndio, pois o isolamento do local onde se encontra o sistema de aquecimento faz aumentar a temperatura (energia de ativação) do mesmo até um ponto de ignição dos materiais presentes nesse compartimento, como cortinados, mantas, tapetes e afins.

Deve também ser sempre evitada a aproximação deste tipo de têxteis, ou árvores de natal, ou mobílias, aos sistemas de aquecimento, qualquer que seja a opção utilizada na sua casa. Todos os materiais têm um ponto de ignição e não é necessário existir uma chama para iniciar um fogo. A temperatura é a energia de ativação de um incêndio e se, por exemplo, a mobília, árvore de natal ou mantas estiverem muito próximas da fonte de calor, podem incendiar-se. É por este motivo que nunca se deve secar roupa nos aquecedores, pois o aumento da temperatura do têxtil pode resultar na autoinflamação.

Outro fator muito relevante para evitar incêndios encontra-se na correta seleção e instalação das extensões elétricas, não só quando utilizadas nos sistemas de aquecimento, como nos eletrodomésticos ou outros aparelhos elétricos. Caso este utensílio não seja certificado e respeitar as normas vigentes, a sua fraca qualidade pode levar a um sobreaquecimento e/ou provocar curtos-circuitos que resultam num foco de incêndio. E se se encontrar escondido atrás dos sofás, mobílias ou cortinados, como muito comummente acontece nas habitações, encontra-se junto ao combustível perfeito para que o incêndio se propague pela divisão, podendo tomar proporções maiores.

Nunca esqueça:

– Tenha sempre um sistema de ventilação no compartimento aquecido, de forma a expulsar os gases quentes e tóxicos;
– Afaste todo e qualquer tipo de combustível (roupa, mantas, mobília, etc.) da fonte de calor;
– Coloque uma proteção à frente da lareira, evitando a projeção de partículas incandescentes;
– Não deite fora a cinza de lareira enquanto ainda está quente, pois iniciar um incêndio quando em contacto com o restante lixo ou com o próprio caixote de lixo;
– A tubagem/chaminé de salamandras atinge temperaturas muito elevadas, pelo que não deve colocada junto a materiais inflamáveis;
– As mangueiras e os redutores utilizados nos aquecedores a gás têm uma vida útil e devem ser substituídos, evitando situações de libertação de gás;
– Adquira sempre extensões elétricas certificadas e opte preferencialmente por lojas especializadas onde pode ser aconselhado pela melhor solução para a sua necessidade;
– Tenha em casa equipamentos de primeira intervenção, como extintores e mantas ignífugas.

Em caso de incêndio:

Numa fase precoce, tente controlar a sua propagação e/ou extingui-lo, recorrendo a um extintor ou uma manta ignifica, por exemplo. Em caso de incêndios com óleos alimentares ou eletricidade, nunca utilize água, correndo o risco de aumentar a propagação do mesmo.

Caso o incêndio já tenha alguma proporção, feche a porta desse compartimento, atrasando assim a sua propagação para o resto da casa e abandone o local, aguardando pelos bombeiros fora de casa.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close