TAP investe 11 milhões na modificação de 12 aviões A320

813

A TAP anuncia o investimento de 11 milhões de euros, com a introdução da tecnologia sharklet e a modificação de 12 aviões da família A320, prevendo um retorno, em cerca de 2,5 anos, com a poupança de combustível e ganhos de eficiência.

O programa de modificação das 12 aeronaves, nas oficinas de manutenção de Lisboa, tem início no próximo dia 7 de Dezembro e ficará concluído no final de 2017.

Este é um dos investimentos que a nova administração decidiu nas últimas semanas, outro que já é do domínio público, foi o da aquisição de 53 novas aeronaves, tendo em vista a melhoria imediata do seu produto por forma a oferecer aos clientes o melhor serviço do mercado.

A introdução dos dispositivos sharklets na ponta das asas permite ganhos na aerodinâmica do avião que permitem reduzir o consumo de combustível em cerca de 4 por cento e a extensão da vida operacional do avião em 36 mil horas de voo, a que junta a redução de emissões.

Esta modificação representa um grande desafio devido ao seu grau de complexidade, envolvendo a substituição de cerca de 10 mil elementos de ligação por avião, a remoção de 20 por cento da estrutura metálica da asa e sua substituição por novos componentes com maior resistência estrutural.

Adicionalmente, a asa sofre no intradorso um reforço estrutural em cerca de 60 por cento da sua extensão, de forma a permitir a introdução da sharklet, com a consequente alteração na distribuição de esforços ao longo da envergadura da asa. Ao nível de sistemas aviónicos, é necessária uma atualização de diversos componentes de forma a contemplar a nova configuração da asa a nível aerodinâmico.

Para realizar esta modificação, serão necessários cerca de 20 dias de imobilização da aeronave e 3600 horas-homem de trabalho de diferentes especializações, com especial enfoque em estruturas, mas também em aviónicos e sistemas de avião.

De forma a levar a cabo a introdução das sharklets, foi necessária a aquisição de ferramentas e equipamentos desenvolvidos pela Airbus especificamente para esta modificação, tal como a ferramenta de alinhamento geométrico da asa que garante a correta instalação dos novos componentes estruturais.

Por outro lado, a TAP realizou igualmente um investimento em ferramentas tecnologicamente mais sofisticadas, tais como equipamentos de remoção de elementos de ligação através de descarga elétrica (e-drill) que permitem realizar o trabalho de modo mais rápido e com maior qualidade.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close