Home » Economia » Emprego » Taxa de desemprego cresceu no √ļltimo trimestre
Taxa de desemprego cresceu no √ļltimo trimestre

Taxa de desemprego cresceu no √ļltimo trimestre

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre o Emprego referentes ao primeiro trimestre de 2023, revelam um aumento do desemprego trimestral de 37.600 pessoas, com a taxa de desemprego a situar-se nos 7,2%.

O aumento do desemprego de trimestre para trimestre faz com que esta seja a taxa mais elevada dos √ļltimos 2 anos. Apesar deste aumento do desemprego, o aumento da popula√ßao ativa faz com que o emprego tamb√©m registe um aumento de 21.800 profissionais, face ao trimestre anterior

Segundo a Randstad que analisou os dados do INE, este lento crescimento trimestral do n√ļmero de empregados em cerca de 0,4%, traduz-se numa desacelera√ß√£o no mercado de trabalho portugu√™s.

‚ÄúApesar de um ligeiro aumento no emprego, os √ļltimos dados revelam um cen√°rio desafiante do mercado de trabalho portugu√™s. A taxa de desemprego aumentou tanto em termos trimestrais como hom√≥logos em quase todas as regi√Ķes do pa√≠s, com exce√ß√£o da Regi√£o Aut√≥noma da Madeira, com uma leve diminui√ß√£o. Os primeiros sinais de abrandamento, com aumentos cada vez menores do emprego surgiram em 2022. No entanto, h√° ainda algumas vari√°veis com bom desempenho e, por exemplo, a popula√ß√£o considerada desempregada de longa dura√ß√£o diminuiu em 5.100 pessoas e a taxa de desemprego dos mais jovens diminuiu ligeiramente face ao trimestre anterior‚ÄĚ, revela Isabel Roseiro, diretora de marketing da Randstad.

Verifica-se, assim, um crescimento, n√£o s√≥ trimestral, mas tamb√©m interanual do emprego (+23.800 pessoas) e do desemprego (+71. 900 pessoas) em simult√Ęneo, explicado pelo aumento da popula√ß√£o ativa, em 95.700 pessoas face ao 1¬ļ trimestre de 2022.

A análise revela que o aumento trimestral do emprego se registou no grupo dos assalariados (por conta de outrem) e é mencionado ainda que neste grupo, o primeiro trimestre do ano tem sido caracterizado pela diminuição dos contratos com termo (-1,4%) e pelo aumento dos contratos sem termo (+0,3%). No entanto, em termos homólogos, a situação é diferente, com um aumento registado nos contratos com termo (+7,2%). Ainda no primeiro trimestre do ano, a taxa de trabalho temporário situou-se nos 17,18%

O ligeiro aumento do emprego no primeiro trimestre registou-se em todos os grupos etários, exceto a faixa dos 35 aos 44 anos. Em termos homólogos, apesar do aumento registado, verifica-se uma forte queda nesta faixa etária.

Face ao quarto trimestre de 2022, o emprego cresceu em todos os setores, registando-se um maior crescimento no setor da agricultura com um aumento de 7,6% e as maiores quedas, subsetoriais, verificaram-se dentro do setor dos serviços. O emprego no setor industrial e na agricultura, em termos interanuais, cresceu 3,2% e 13,2%, respetivamente.

Em termos homólogos, o aumento trimestral do desemprego registou-se em todas as faixas etárias, sobretudo no grupo dos 45 aos 54 anos, onde se verificou um aumento de 10.600 pessoas desempregadas.

Segundo os dados do INE, do primeiro trimestre de 2023, num total de 4.924.700 profissionais empregados em Portugal, s√≥ 19% indica ter a possibilidade de trabalhar a partir de casa, ou seja, 937.000 pessoas, nas diferentes modalidades de teletrabalho. √Č na √Ārea Metropolitana de Lisboa que se regista a maior percentagem de teletrabalho, em 30,1%.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.