Home | Saúde | Tecnostress: A herança da Pandemia na Saúde Mental
Tecnostress: A herança da Pandemia na Saúde Mental

Tecnostress: A herança da Pandemia na Saúde Mental

Vivemos numa era hiperligada onde as recompensas instantâneas que recebemos enquanto utilizamos a tecnologia dificultam a auto-disciplina. As pessoas são demasiado estimuladas a desenvolver um foco tecnológico extremo e muitas sentem-se incapazes de se desligar. Mas a pressão de estar disponível e acessível pode ter um grave impacto na saúde mental. A pandemia intensificou este contexto e o tecnostress aparece como uma patologia com danos psicológicos, emocionais e comportamentais. A Adecco Portugal dá pistas para identificar os sintomas e 10 sugestões para evitar entrar em ‘tecno overload’.

Ainda se encontra colado ao seu telefone, mesmo sem e-mails para responder ou sem tarefas para completar? Está sempre de plantão para amigos ou colegas? Sente que já não é tão divertido quanto antes estar sempre ligado e sente alguma ansiedade em relação ao estar sempre “on”? Se concordar com alguma ou todas estas questões, pode estar a sofrer de stress tecnológico, conhecido como tecnostress, um termo que surgiu no livro de Craig Brod, em 1984, intitulado ‘Technostress: O Custo Humano da Revolução Informática’. O termo refere-se à incapacidade de lidar com a tecnologia que resulta em angústia.

Atualmente, a investigação científica sobre tecnostress revela que a relação psicológica negativa com a tecnologia se apresenta principalmente de duas formas diferentes: as pessoas têm dificuldade em compreender a nova tecnologia (tecno-ansiedade), ou identificam-se excessivamente com ela (tecno-adição).

A sobrecarga de informação e o contacto constante com dispositivos e aplicações de tecnologia digital são responsáveis por uma resposta anormal ao stresse, com sintomas físicos, emocionais e mentais específicos. Trata-se de um tipo de stresse, diferente do tradicional, causado por mudanças tecnológicas. A incapacidade de um indivíduo de se desligar ou de acompanhar as novas exigências tecnológicas é uma questão crescente que necessita de mais investigação.

No entanto, os cientistas já alargaram a lista de sintomas (problemas de concentração e foco, desafios de produtividade, postura corporal e tensão muscular, insónia) para incluir ataques de pânico, fadiga crónica, distúrbios depressivos e queimaduras gerais.

Estes sintomas têm um enorme impacto no equilíbrio trabalho-vida e satisfação no trabalho. Algum grau de stress na nossa vida profissional é positivo e uma força de criatividade, mas depois de um certo ponto, afecta a saúde e desempenho das pessoas.

A tecnologia digital é uma fonte-chave de mudança. E claro que traz inúmeras mudanças positivas à sociedade e às pessoas. Contudo, pode ter efeitos adversos nas pessoas que a utilizam de uma forma pouco saudável. Há que aprender a desligar. A Adecco Portugal sugere 8 ações para evitar que o recurso à tecnologia seja prejudicial à saúde mental dos indivíduos.

COMO LIDAR COM A TECNOSTRESS: É HORA DE TERMINAR A SESSÃO!

1. Definir tempo para pausas e cumprir. Isto exige que se acompanhe o tempo que se está em frente de um ecrã. É uma situação em que todos ganham. Marque as pausas para a conetividade, à medida que se torna mais consciente do tempo que passa ligado.

2. Definir o tempo despendido para as redes sociais. Se precisar de utilizar as redes sociais diariamente, certifique-se de que bloqueia as notificações no seu telefone. Para um efeito mais drástico, apague as aplicações para as redes sociais dos seus dispositivos móveis.

3. Desligar o seu dispositivo pessoal. Bloqueie as distrações desnecessárias no trabalho, quando faz uma pausa e quando vai para a cama. Comece por desligar o seu telefone várias vezes durante o dia.

4. Reduzir as comunicações desnecessárias. Filtrar as mensagens não urgentes e reservar tempo para responder quando tiver tempo. Isto aplica-se tanto à comunicação no trabalho como à comunicação pessoal.

5. Anotar as tarefas no papel. Se não se quiser envolver com mais uma aplicação ou sistema para organizar as suas tarefas e pensamentos, recorrer à forma tradicional de organização em agendas em papel pode ser muito eficaz.

6. Concentrar-se numa tarefa de cada vez. Pare a multitarefa tecnológica, feche as múltiplas janelas e concentre-se na tarefa que tem em mãos. Se estiver a trabalhar em grupos de gestão de projetos online, crie limites claros sobre quando será contactável.

7. Formar os profissionais para a utilização de novas tecnologias. A formação dos funcionários para compreenderem como utilizar eficazmente uma (nova) tecnologia evitará a ansiedade e tornará os profissionais mais confiantes nas suas capacidades.

8. Encorajar os funcionários a desligarem-se. Cultivar uma cultura de respeito pelo tempo livre fora do trabalho ajudará os empregados a melhorar o seu equilíbrio entre a vida profissional e familiar, o que, por sua vez, aumentará a sua produtividade.

A The Adecco Group AG está sediada em Zurique, Suíça (ISIN: CH0012138605) e listada na SIX Swiss Exchange (ADEN). O Grupo é alimentado por três unidades de negócios globais: Adecco, Talent Solutions e Modis.

Adecco / CS

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.