Home » Economia » Emprego » Ultrapassados os 5 milhões de empregados em março
Ultrapassados os 5 milhões de empregados em março

Ultrapassados os 5 milhões de empregados em março

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), do Serviço Público do Emprego Nacional (IEFP) e da Segurança Social, relativos ao mês de março de 2024, revelam que o número de empregados voltou a ultrapassar os cinco milhões, um recorde histórico.

No mês de março registou-se um acréscimo de 11.700 pessoas empregadas, ou seja, +0,2%, relativamente ao mês de fevereiro. A população ativa registou um aumento de 6.000 pessoas, o que se deve ao facto de o acréscimo da população empregada ter sido superior ao decréscimo da população desempregada. Neste sentido, a taxa de desemprego diminuiu, face ao mês anterior e também em comparação com março de 2023, ao atingir os 6,5%.

A análise da RANDSTAD aos dados divulgado pelo INE, mostra que por género, 9.600 homens deixaram de estar em situação de desemprego, o que equivale a -6,1%. Relativamente às mulheres, registou-se um aumento em 2,0%, o que significa que 3.800 mulheres passaram a estar em situação de desemprego. Em termos de faixa etária, os dados mostram que no grupo dos adultos (dos 25 aos 74 anos) verificou-se uma diminuição do desemprego, com -4.900 pessoas nesta situação. Também no grupo dos jovens (dos 16 aos 24 anos) foi registada uma diminuição de 1000 pessoas desempregadas.

A análise interanual mostra que existiu um aumento de 96.000 profissionais face a março de 2023 e que a população ativa cresceu em 81.000 pessoas. Os dados relativos ao período homólogo revelam que o desemprego aumentou nos grupos populacionais de mulheres(+8.600 pessoas) e jovens (+11.300 pessoas) e diminuiu no grupo dos homens (-22.700 pessoas) e também no dos adultos (-25.500 pessoas).

Por outro lado, os dados do IEFP mostram a mesam tendência em março e registaram uma queda dos pedidos de emprego de -5.998 (total de 475.268 pedidos de emprego) e de -6.392 desempregados registados (total de 324.616 desempregados registados) em relação ao mês anterior. Esta queda mensal do desemprego foi comun a em todas as regiões, com exceção da Região Metropolitana de Lisboa. Destacou-se a queda do desemprego registado no Algarve e no Norte.

A análise da Randstad destaca ainda que, segundo os dados do IEFP, o setor do alojamento e da restauração desempenhou um papel crucial no decréscimo do número de desempregados registados em março. Este setor apresentou uma queda significativa de -10,2% em comparação com o período homólogo. Este declínio é sobretudo atribuído ao início do período sazonal associado à época turística em grande parte das regiões do país.

“Estes números mostram uma tendência positiva no emprego, com a diminuição no número de pessoas desempregadas. Isto pode ser explicado pela sazonalidade da época da Páscoa com os setores do alojamento e restauração a terem um peso muito considerável nestes números. Isto é, assistimos a uma maior procura por profissionais desses setores para atender ao aumento das atividades sazonais, o que tem gerado mais oportunidades de emprego e tem contribuído para a redução do desemprego registado.” comenta Isabel Roseiro, diretora de marketing da Randstad Portugal.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.