Home | Saúde | Variante da África do Sul detetada em Portugal
Variante da África do Sul detetada em Portugal

Variante da África do Sul detetada em Portugal

Foram detetados novos casos da mutação da variante sul-africana do SARS-CoV-2 em Portugal. A confirmação foi efetuada ontem pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge após análise, por sequenciação do genoma, das amostras identificadas e enviadas na semana passada.

A variante sul-africana apresenta mutações em dois genes e só é detetada em amostras de doentes positivos para COVID-19, através de uma tipologia de teste RT-PCR desenvolvido pela SYNLABe dirigido aos genes mutados. É conhecida por atingir os pacientes mais jovens e por ser mais resistente a anticorpos. O primeiro caso identificado em Portugal ocorreu em dezembro, também pela SYNLAB, num viajante. Até à data, o laboratório já detetou quatro casos em território nacional.

Para Laura Brum, diretora clínica da SYNLAB, “estas novas descobertas resultam da evolução do vírus que se vai adaptando, até às vacinas, e cria mutações que o tornam mais transmissível. Vamos continuar a trabalhar na identificação de variantes do SARS CoV-2, em colaboração com as autoridades de saúde e o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. Temos capacidade para realizar a sequenciação do genoma (NGS), pelo que podemos participar ativamente no processo de confirmação.”

A SYNLAB é o laboratório que efetua todos os testes COVID-19 (PCR e antigénios) nos aeroportos de Portugal, com unidades instaladas na zona das partidas (dedicadas a passageiros que necessitam de teste COVID-19 para embarcar) e na zona das chegadas (dedicadas a passageiros que chegam sem teste COVID-19 negativo). Foi aqui que o laboratório identificou, também em dezembro do ano passado, uma mutação na variante do Reino Unido que está associada à falha na deteção do gene “S”, um dos quatro genes que podem ser usados como alvo no teste PCR. A SYNLAB processa diariamente centenas de amostras por esta técnica de forma a detetar a variante inglesa e acompanhando os dados de frequência desta variante.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.