Drª Beatriz Craveiro Lopes crd_ASTOR

A Varicela pode contribuir para a nevralgia pós herpética!

821

A nevralgia pós herpética é um tipo de dor neuropática que resulta de uma infeção por herpes zoster, também conhecido por “zona”, o vírus responsável pela varicela.

Após a varicela, o vírus fica “adormecido” nas células nervosas da pessoa infetada e pode nunca voltar a manifestar-se. Contudo, com a idade ou alguma fragilidade do sistema imunitário, o vírus pode reativar-se manifestando-se na pele, em qualquer parte do corpo, com manchas vermelhas e pequenas bolhas, que surgem com maior frequência no tórax e na face, provocando ardência, dor e um desconforto intenso.

Cerca de 20 por cento dos doentes com o herpes zoster podem evoluir para uma nevralgia pós herpética, se a dor persistir por mais de três meses após a resolução das erupções iniciais.

Qualquer pessoa que tenha tido varicela poderá vir a desenvolver, em qualquer altura da sua vida, uma nova infeção por este vírus. Os sintomas da nevralgia pós herpética são uma sensação dolorosa de queimadura, choques elétricos, agulhas ou formigueiro.

Este tipo de dor neuropática, quando não tratada, tem um impacto negativo na qualidade de vida da pessoa, quer a nível pessoal, laboral ou social. A pessoa pode apresentar dificuldade no contato com a roupa ou os lençóis da cama, falta de sono, incapacidade para trabalhar e isolamento social.

O tratamento médico farmacológico baseia-se em medicamentos analgésicos orientados para este tipo de dor, como os adesivos com anestésicos locais, os anti-convulsionantes, os antidepressivos e eventualmente os medicamentos opióides. O tratamento não farmacológico passa por agentes físicos como o frio ou o calor.

Este foi um dos temas em destaque no 14º Convénio da Associação para o Desenvolvimento da Terapia da Dor (ASTOR) e das 23as Jornadas da Unidade de Dor do Hospital Garcia da Orta.

Beatriz Craveiro Lopes
Membro da direção da Associação para o Desenvolvimento da Terapia da Dor (ASTOR)

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close