Benfica e Bruno Fernandes campeões nas notícias

Benfica e Bruno Fernandes campeões nas notícias

207

O Benfica liderou na temporada passada, o ranking das notícias do desporto em Portugal. Bruno Fernandes, o médio do Sporting, foi o jogador mais mediático da época passada, segundo a Cision.

No arranque da nova época futebolística 2019/20, que tem o primeiro episódio com a disputa da Supertaça este fim-de-semana, a Cision analisa os clubes, jogadores, treinadores e dirigentes que mais se destacaram nos meios de comunicação social portugueses, na temporada 2018/19. O Benfica foi o clube mais mediático, mas é do Sporting o futebolista mais falado nos media.

Bruno Fernandes foi o jogador mais mediático da Liga NOS. De acordo com o estudo da Cision, o médio leonino, segundo melhor marcador do campeonato, foi citado em 17.266 notícias durante a época futebolística. O internacional português foi também o atleta mais falado nas rádios e televisões nacionais, somando um total de 4.313 horas (o equivalente a quase 180 dias) de emissão.

Os números do centrocampista do Sporting não são muito diferentes dos de João Félix, o segundo jogador mais mediático da Liga. O jovem avançado do Benfica, entretanto transferido para o Atlético de Madrid, teve o seu nome mencionado em 16.191 notícias e foi tema de conversa durante 4.130 horas (cerca de 172 dias) na rádio e TV.

O também benfiquista Jonas – agora retirado – completa o pódio dos futebolistas com maior presença nos media nacionais, seguido por Soares, o primeiro atleta do Porto neste ranking da Cision. O nome do avançado portista esteve presente em 14.452 notícias.

Entre os treinadores, Sérgio Conceição foi aquele a quem os órgãos de comunicação social nacionais dedicaram mais atenção. O técnico do Porto foi mencionado em 41.103 conteúdos noticiosos ao longo da época, tendo sido falado em mais de dez mil horas de televisão e rádio (cerca de 436 dias).

Seguem-se os dois homens que treinaram o Benfica durante a temporada. Rui Vitória, que esteve ao comando dos “encarnados” até ao início de janeiro, foi referido em 30.687 notícias; Bruno Lage, que substituiu o ribatejano no banco das águias e levou a equipa à conquista do título, teve o seu nome citado em 22.831 artigos. Em conjunto, os dois técnicos superam o número de referência de Sérgio Conceição.

Marcel Keizer foi o menos mediático dos treinadores dos chamados “três grandes” do futebol português. O holandês, que conduziu o Sporting à vitória na Taça da Liga e na Taça de Portugal, esteve presente em 17.979 notícias. José Peseiro, que orientou os “leões” até ao início de novembro, obteve 13.634 referências.

Se Sporting e Porto tiveram o jogador e o treinador mais mediáticos do ano, o Benfica teve o presidente mais falado nos media portugueses. Luís Filipe Vieira foi mencionado em 17.952 notícias e gerou 5.386 horas de emissão na televisão e na rádio (o equivalente a mais de 224 dias de emissão).

Frederico Varandas, que assumiu a presidência do Sporting já com a época em curso, não ficou longe do seu homólogo benfiquista, tendo sido referido em 14.941 artigos. Já o presidente do Porto esteve mais afastado dos holofotes: Pinto da Costa foi citado em “apenas” 9.720 notícias.

No que diz respeito aos clubes, o campeão nacional foi também o vencedor deste “campeonato mediático”. O Benfica destacou-se, com menções em 153.105 peças noticiosas ao longo da época. A equipa da Luz foi também a mais falada na televisão e na rádio, com quase 25 mil horas (equivalente a quase três anos).

O Porto, que discutiu o título até à última jornada da Liga, ficou também em segundo neste ranking Cision. Foram 127.384 as notícias com referências aos “dragões” feitas ao longo da época. Tal como na classificação da Liga, o Sporting também ficou em terceiro em termos de mediatismo, com 114.704 artigos.

Em conjunto, os “três grandes” do futebol nacional geraram um impressionante total de 395.193 notícias e o equivalente a mais de sete anos de emissão nas estações de rádio e televisão de Portugal.

Fora de campo, houve dois grandes assuntos que centraram a atenção dos media. O processo E-Toupeira, que envolve o antigo assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, deu origem a 8.472 notícias e a mais de 98 dias de emissão na TV e rádio. Já o ataque à Academia do Sporting, em Alcochete, teve direito a menos artigos (7.755), mas foi mais falado nas emissões televisivas e radiofónicas (quase 122 dias de emissão).

O objeto do estudo realizado pela Cision – empresa líder global em serviços e software de pesquisa, monitorização e análise de media – foram todas as notícias sobre Benfica, Porto e Sporting, seus presidentes, treinadores e jogadores, difundidas no espaço editorial português, em mais de dois mil meios de comunicação social, no período temporal compreendido entre 18 de agosto de 2018 e 29 de maio de 2019.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close