Hotelaria portuguesa encerra 2016 em crescimento

Hotelaria portuguesa encerra 2016 em crescimento

457

A hotelaria portuguesa encerra 2016 com um registo em crescimento na ordem dos 2,60% relativamente ao período homólogo, de acordo com os dados do mais recente trivago Hotel Price Index.

A média nacional fixa-se agora nos 79€ por quarto duplo, mais dois euros que no ano passado. A Madeira (+6,10%) é a região em destaque, liderando o crescimento face a dezembro de 2015. Já Porto (+10,29%) e Lisboa (+5,75%) estão entre os principais destinos europeus com os desenvolvimentos mais expressivos.

Segundo dados do motor de busca trivago, o Porto (+10,29%) apresenta este mês, face ao período homólogo, o quarto maior crescimento entre as 50 principais cidades europeias. Pernoitar na Invicta custava em média 68€ por noite, contra 75€ este mês. A capital portuguesa surge igualmente em destaque, na décima posição, registando assim um dos maiores crescimentos europeus (+5,75%) face ao último ano.

Olhando agora para as regiões, a Madeira surge na primeira posição, com um crescimento de 6,10%, com um quarto duplo a custar em média 87€ por noite, quando no ano passado o custo médio não ultrapassava os 82€.

O Algarve (+4,76%) surge na segunda posição, seguido da região de Lisboa (+3,49%), do Centro (+3,13%) e do Norte (+2,90%). Os Açores (-1,59%) e o Alentejo (-4,05%) são as únicas regiões no negativo este mês.

Neste mês de dezembro, destaque positivo, a nível local, para Faro (+19,61%), Aveiro (+13,79%) e Porto (+10,29%). Em sentido oposto, Vila Nova de Gaia (-12,50%), Estoril (-9,09%) e Sintra (-7,32%) registam descidas acentuadas dos seus preços médios.

Cascais, com um custo médio de 109€ por noite, é a localidade mais cara do país este mês. Já Portimão, com um preço médio de 45€, é o destino nacional mais acessível.

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close