Home » Sociedade » Escolas e universidade » Estudo sobre os inc√™ndios urbano-florestais
Estudo sobre os incêndios urbano-florestais
Investigadores Aldina Santiago e Helder Craveiro

Estudo sobre os incêndios urbano-florestais

O estudo da Universidade de Coimbra, revela que √© urgente adotar novas solu√ß√Ķes construtivas para diminuir os impactos dos inc√™ndios na interface urbano-florestal.

√Č urgente alterar a forma de constru√ß√£o e reabilita√ß√£o de edif√≠cios e infraestruturas nas zonas cr√≠ticas de interface urbano-florestal (IUF), revelam os primeiros resultados de um estudo da Universidade de Coimbra (UC) focado na promo√ß√£o de um ambiente constru√≠do sustent√°vel, resistente e resiliente para mitigar os impactos diretos e indiretos, a n√≠vel econ√≥mico, social e humano, dos inc√™ndios florestais.

Designado INTERFACESEGURA, o projeto tem um financiamento de 299 mil euros, atribuído pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), e adota uma abordagem holística ao problema dos incêndios na interface urbano-florestal, reunindo vários grupos de investigação da UC (Engenharia, Geografia, Economia e Direito).

O grande objetivo √© ¬ęresponder de forma direta aos graves problemas que surgiram nas √ļltimas d√©cadas por falta de planeamento e ordenamento do territ√≥rio, com excessiva press√£o urbana sobre zonas florestais, com per√≠metros urbanos sobredimensionados destitu√≠dos de programa√ß√£o p√ļblica, o abandono dos espa√ßos rurais e das atividades prim√°rias que promoveram a continuidade do combust√≠vel (aus√™ncia de compartimenta√ß√£o) e o r√°pido agravamento das altera√ß√Ķes clim√°ticas¬Ľ, afirma H√©lder Craveiro, coordenador do projeto e investigador no Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Ci√™ncias e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Para tal, esta investiga√ß√£o possui uma componente experimental muito forte. T√™m sido realizados m√ļltiplos ensaios de campo de inc√™ndio real, em colabora√ß√£o com a Escola Nacional de Bombeiros, beneficiando das pr√°ticas de treino de fogo controlado para instrumentar e monitorizar o comportamento do fogo e avaliar o seu impacto em edif√≠cios.

Com base na informa√ß√£o recolhida nos ensaios de campo e em ferramentas computacionais de simula√ß√£o para avaliar o comportamento do fogo na macroescala (ao n√≠vel do concelho) e microescala (ao n√≠vel do edif√≠cio), j√° foi poss√≠vel identificar, atrav√©s de um caso de estudo, no concelho de Coimbra, ¬ęas zonas mais vulner√°veis a inc√™ndios na interface urbano-florestal. Esta abordagem permite simular o desenvolvimento e propaga√ß√£o de inc√™ndios e avaliar com elevado n√≠vel de detalhe o impacto de cen√°rios extremos, como os que estamos a viver, no ambiente constru√≠do, avaliando as vulnerabilidades de edif√≠cios e infraestruturas¬Ľ, relata o investigador da FCTUC.

Os primeiros resultados do projeto revelam que a ocorr√™ncia de inc√™ndios florestais junto de zonas urbanas ¬ęobriga ao desenvolvimento de novas solu√ß√Ķes construtivas resistentes ao fogo em zonas urbanas de risco de exposi√ß√£o agravado, com a implementa√ß√£o de normas de constru√ß√£o para a interface urbano-florestal recorrendo a an√°lises baseadas no desempenho, mitigando as vulnerabilidades dos edif√≠cios a eventos extremos. Al√©m disso, √© fundamental caraterizar a envolvente dos per√≠metros urbanos, identificando a sua suscetibilidade a inc√™ndios florestais, para implementa√ß√£o de medidas mitigadoras¬Ľ.

A equipa identificou tamb√©m quais os materiais usados na constru√ß√£o mais vulner√°veis ao fogo, que, de acordo com H√©lder Craveiro, ¬ęinfelizmente, proliferam no nosso pa√≠s, por exemplo, materiais com um comportamento ao fogo desadequado √† sua utiliza√ß√£o em zonas de interface com risco agravado (ex.: painel sandwich com n√ļcleo de poliuretano)¬Ľ.

Face √†s altera√ß√Ķes clim√°ticas, o coordenador do estudo frisa que a ¬ęfrequ√™ncia e severidade dos inc√™ndios tender√° a aumentar, conduzindo √† extrema necessidade de implementa√ß√£o de medidas e reformas estruturais ao n√≠vel do ambiente constru√≠do e da floresta nas zonas de interface urbano-florestal, mitigando impactos diretos e indiretos nas comunidades. Esta abordagem permite no curto/m√©dio prazo reduzir riscos para as comunidades e possibilita uma reforma florestal s√≥lida e eficaz (reformula√ß√£o da paisagem, compartimenta√ß√£o e valoriza√ß√£o florestal), que naturalmente levar√° anos a ser concretizada¬Ľ.

O estudo evidencia tamb√©m a necessidade do ¬ęuso mais efetivo e intensivo de fogo controlado para controlo da carga combust√≠vel, bem como o desenvolvimento de metodologias para estimar impactos socioecon√≥micos, a curto prazo, para um cen√°rio de redu√ß√£o de procura final, dirigida √† economia portuguesa. A ind√ļstria da pasta de papel e derivados foi analisada, tendo os resultados demonstrado a relev√Ęncia do eucalipto nesta ind√ļstria, apesar da apreens√£o geral existente em torno da sua explora√ß√£o intensiva em zonas suscet√≠veis a inc√™ndios florestais¬Ľ, acrescenta H√©lder Craveiro.

Ap√≥s a conclus√£o do projeto, prevista para o final deste ano, os investigadores envolvidos pretendem elaborar e enviar ao Governo e aos munic√≠pios um documento com recomenda√ß√Ķes para a implementa√ß√£o de pol√≠ticas, quer do ponto de vista do ambiente constru√≠do e gest√£o florestal nas imedia√ß√Ķes de zonas urbanas, quer ao n√≠vel de resili√™ncia para as comunidades.

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como s√£o processados os dados dos coment√°rios.