Home | Desporto | BodyBoard | Nacional de Bodyboard continua na Ilha Terceira
Nacional de Bodyboard continua na Ilha Terceira

Nacional de Bodyboard continua na Ilha Terceira

A ilha Terceira, recebe a 2 e 3 de Outubro, a terceira etapa do Circuito Nacional Crédito Agrícola 2021, depois da Figueira da Foz com muitas surpresas no “ranking”, nomeadamente, os sétimos lugares dos campeões nacionais Daniel Fonseca e Joana Schenker, e a liderança de Miguel Ferreira e Filipa Broeiro nas contas dos títulos nacionais (Pierre Louis Costes que lidera o “ranking” é francês e não pode sagrar-se campeão nacional).

A corrida à lycra verde do Crédito Agrícola, distingue os campeões nacionais, mas o grande motivo de interesse é a própria onda de Santa Catarina.

Localizada numa pequena baía no concelho da Praia da Vitória, a “Santa” é uma laje de pedra vulcânica que produz uma onda super pesada e tubular que tem tanto de espetacular como de perigoso. Uma onda de classe mundial pouco explorada mas que tem um lugar especial entre um nicho de bodyboarders locais e alguma da elite nacional que regularmente ali se desloca quase em segredo.

Miguel Ferreira, 21 anos, líder das contas no que diz respeito ao título nacional, segundo classificado na Figueira da Foz, derrotado apenas por uma exibição eletrizante do francês Pierre Louis Costes, nunca esteve em Santa Catarina mas diz-se “preparado para tudo”.

Na competição feminina, o estado da nação espelha o que aconteceu no open, com a heptacampeã nacional Joana Schenker a ser eliminada nas meias-finais, algo que aconteceu apenas duas vezes nos últimos sete anos.

“Competi condicionada fisicamente com uma lesão nos lombres e medicada com analgésicos. Não é desculpa porque se não ajudou, o problema nem foi esse. Apenas escolhi mal o sítio para surfar e não consegui compensar por estar sem a remada normal”, explicou Joana Schenker, sublinhando que “a lesão não justifica os meus erros.”

A campeã nacional está consciente que o sétimo lugar na Figueira coloca em risco a revalidação do título mas diz que não vai “baixar os braços”.

André Avelar, presidente da Associação de Surf da Ilha Terceira explica a motivação em ter o Nacional de volta à ilha 10 anos depois da última passagem por Santa Catarina:

“É um orgulho ter aqui o Circuito Nacional Crédito Agrícola 10 anos depois. Queremos que esta prova aproveite todo o potencial da onda de Santa Catarina e levante um pouco o véu do que temos para oferecer aqui nos Açores. A ideia é começar a vender outras vertentes do turismo açoriano numa altura em que estamos a recuperar da crise provocada pela pandemia.”

Partilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

*

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.