Reflexão sobre o incêndio no Túnel do Marão

Reflexão sobre o incêndio no Túnel do Marão

555

O dia 24 de Março de 1999, marca um ponto de viragem na segurança contra incêndios em túneis, a forma de combater incêndios no interior destas infraestruturas, a segurança de pessoas e o seu resgate.

Estou a falar do famoso incêndio no Túnel de Mont Blanc (ligação rodoviária entre França e Itália nos Alpes), na sequência de um incêndio num camião. Incêndio que durou 53 horas, e destruiu 24 camiões, 9 veículos ligeiros e duas viaturas dos bombeiros. No total morreram 39 pessoas entro os quais, um bombeiro francês e um socorrista italiano.

O incêndio ocorrido no passado dia 11 no Túnel do Marão, não deixa de nos assaltar a mente com várias questões que já eram alvo de discussão e interrogações mesmo antes da inauguração da referida infraestrutura.

No quero de maneira nenhuma vir a publico classificar com adjectivos qualquer pessoa, organização ou entidade mas, contribuir para uma análise técnica em todas a vertentes com algumas interrogações muito simples e do conhecimento geral, pois também os dados que tenho foram recolhidos nas imagens e declarações feitas por diversos responsáveis e intervenientes.

1.O sistema de ventilação em uma galeria subterrânea tem como objectivo em caso de acidente/incêndio em primeiro lugar garantir que os fumos avancem no sentido contrario das viaturas bloqueadas, de forma a garantir uma ventilação com ar fresco do exterior.

Assim, empurrar para o exterior os fumos, gases tóxicos e asfixiantes libertados pelo incêndio.

Posteriormente e depois de confirmado que não há ocupantes no interior, o sentido da ventilação poderá ser alterado, ou mesmo anulada, de forma a cortar o aporte de oxigénio ao incêndio.

O que vimos nas imagens televisivas e não só, foi que o fumo esteve a sair precisamente no sentido Norte/Sul, ou seja, mesmo para a área onde se encontravam veículos bloqueados e os seus ocupantes.

Porquê?

2.Ouvimos o Comandante dos Bombeiros que fizeram a intervenção, referir que com facilidade o incêndio foi extinto.

As fotos mostram um autocarro totalmente consumido pelo incêndio, mesmo a sua estrutura ficou totalmente deformada pelas altas temperaturas que naturalmente foram atingidas no túnel. Por esta razão, os danos resultam numa demorada avaliação, recuperação e reparação que levam a interdição de utilização do túnel.

Será que os bombeiros estiveram em combate ao incêndio?

Ou se extinguiu pelo consumo de todos os materiais inflamáveis?

Tinham condições para o fazer?

Muito mais interrogações se poderiam fazer em relação ás saídas e percursos de emergência e a coordenação da circulação em ambos os sentidos da infraestrutura.

No entanto, como português, considero que há males que vêm por bem, senão vejamos:

O evento vem colocar a necessidade de rever e avaliar de novo a segurança e a resposta a uma emergência no Túnel do Marão. Há que considerar muitos cenários que podem ocorrer a qualquer momento e provocar uma catástrofe , alguns exemplos muito simples:

.Ocorrência de um incêndio que coincida com a circulação de viaturas de mercadorias com materiais perigosos.

.Eventos com congestionamentos, pessoas bloqueadas e impossibilitadas de realizar a sua fuga e a necessidade dos bombeiros realizarem resgate de inúmeras vitimas em ambiente contaminado.
e muito mais…

Depois de evento do Mont Blanc e muitos outros parece que por cá, continuamos a confiar na protecção divina.

Será que o IP (Infraestruturas de Portugal) não deverá classificar o Túnel do Marão com uma INFRAESTRUTURA CRITICA e proceder em conformidade?

Desta vez não tivemos vitimas e só se registaram danos materiais, se houvesse mortos a “culpa morreria solteira” como sempre?

Por ultimo, é possível que os acontecimentos dos fogos façam com que este evento passe para 2º plano ou mesmo para o esquecimento, de certeza que muitos responsáveis já estão á espera que isso aconteça.

Armando Pereira
Especialista em Segurança e Resgate Mineiro

Partilhe:



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*


CAPTCHA Image

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O site 'ipressJournal' utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação do visitante. LER MAIS

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close